Pular para o conteúdo

24/06/2022

Newsletter Sindilat_RS

Porto Alegre, 24 de junho de 2022                                                          Ano 16 - N° 3.689


Arrecadação de R$165 bi é recorde para maio

Valor chega a R$ 908,5 bi no acumulado de cinco meses do ano e é também o maior resultado na série histórica iniciada em 1995

A arrecadação federal com impostos em maio atingiu o maior valor desde o ano 2000. Com um total de R$ 165,3 bilhões em maio, a arrecadação cresceu 4,13% na comparação com o mesmo mês do ano passado. Além de impostos, também está dentro desse valor contribuições e outras receitas. O número já desconta a inflação no período e foi apresentado ontem pelo auditor-fiscal Claudemir Malaquias, chefe do Centro de Estudos Tributários e Aduaneiros da Receita Federal. No acumulado de janeiro a maio deste ano as receitas federais somaram R$ 908,5 bilhões, 9,75% a mais na comparação com o mesmo período de 2021. Apesar da alta em vários setores, a arrecadação de impostos caiu na produção industrial, com 0,5% menos em maio frente a igual mês de 2021. O resultado, se comparado à leitura anterior, de abril, registra queda de 15,65% no recolhimento. Entretanto, esta leitura de maio, para o mês, representa o maior valor arrecadado desde o início da série histórica em 1995.

As desonerações concedidas pelo governo resultaram em renúncia fiscal de R$ 39,630 bilhões nos cinco primeiros meses de 2022, valor superior ante igual período do ano passado, quando ficou em R$ 31,753 bilhões. Somente em maio as desonerações totalizaram R$ 10,138 bilhões, também acima do registrado no mesmo mês do ano passado, quando o valor era de R$ 7,271 bilhões. 

Os maiores destaques no recolhimento de impostos foram receitas previdenciárias com
R$ 43,521 bilhões, PIS/Pasep e Cofins com R$ 32,302 bilhões e rendimentos de capital com R$ 5,8 bilhões. No caso do PIS/Pasep, o resultado foi puxado por crescimento nas atividades do comércio e dos serviços, conforme levantamento do IBGE. Houve acréscimos reais de 1,50% no volume de vendas e de 9,40% no volume de serviços em maio de 2022 em relação a maio de 2021, além do bom desempenho da arrecadação no
setor de combustíveis e no comércio varejista. Entretanto, é registrado decréscimo de 10,47% no volume das compensações tributárias.

A Receita Federal informou ainda que os aumentos de preços de alguns produtos como minério, petróleo, combustíveis e chapas de aço influenciaram para cima a arrecadação na parcial deste ano. “Houve recolhimentos atípicos da ordem de R$ 20 bilhões, especialmente por empresas ligadas à exploração de commodities”, destacou o Fisco em comunicado. (Correio do Povo)


Conseleite-Santa Catarina
 
A diretoria do Conseleite Santa Catarina reunida no dia 24 de Junho de 2022 atendendo os dispositivos disciplinados no artigo 15 do seu Estatuto, inciso I, aprova e divulga os valores de referência da matéria-prima leite, realizados no mês de Maio de 2022 e a projeção dos valores de referência para o mês de Junho de 2022. Os valores divulgados compreendem os preços de referência para o leite padrão, bem como o maior e menor valor de referência, de acordo com os parâmetros de ágio e deságio em relação ao Leite Padrão, calculados segundo metodologia definida pelo Conseleite-Santa Catarina.

O leite padrão é aquele que contém entre 3,50 e 3,59% de gordura, entre 3,11 e 3,15% de proteína, entre 450 e 499 mil células somáticas/ml e 251 a 300 mil ufc/ml de contagem bacteriana e volume individual entregue de até 50 litros/dia. O Conseleite Santa Catarina não precifica leites com qualidades inferiores ao leite abaixo do padrão. (Conseleite/SC)

 

China: produção de leite cru deve atingir 39,6 milhões de toneladas em 2022

De acordo com um relatório da Rede Global de Informações Agrícolas do Serviço Agrícola Estrangeiro do Departamento de Agricultura dos EUA, a produção de leite cru da China atingirá 39,6 milhões de toneladas em 2022.

De acordo com o relatório, o aumento de 4,5% em relação a 2021 se deve a um rebanho leiteiro maior e maior eficiência. No entanto, a queda no preço do leite cru, os custos mais altos da alimentação e a incerteza do mercado causada pelas políticas da China contra a COVID-19 prejudicarão a produção de leite em 2022.

A distribuição doméstica de leite fluido deve atingir 40,95 milhões de toneladas em 2022, impulsionada pela demanda do consumidor por produtos lácteos nos setores de varejo e processamento de alimentos.

Espera-se que o crescimento das importações diminua para 1,3 milhões de toneladas em 2022 devido aos preços globais mais altos e à concorrência da produção doméstica.

Espera-se também, que a produção de leite em pó integral aumente um pouco para 1,02 milhões de toneladas, à medida que os produtores convertem o leite cru excedente sazonal em leite em pó integral e que o setor de panificação e os fabricantes de bebidas de suplementos alimentares aumentem o consumo para quase 1,9 milhões de toneladas.

Seu uso como ingrediente em fórmulas infantis, no entanto, está diminuindo à medida que a taxa de natalidade declinante do país reduz a demanda por fórmulas infantis. A estimativa de importação para leite em pó integral em 2022 foi reduzida de 849 mil toneladas em 2021 para 820 mil toneladas em 2022.

A produção de leite em pó desnatado é estimada em 24 mil toneladas. Espera-se que a produção permaneça baixa, pois a China não produz creme ou manteiga suficiente para suportar um aumento significativo no leite em pó desnatado.

O consumo doméstico total deverá ser de 423 mil toneladas, uma queda de 5% ano a ano devido a uma maior oferta de leite em pó integral no mercado. Devido à menor demanda do mercado, as importações também são reduzidas para 400 mil toneladas.

À medida que os produtores locais expandem a produção na mesma taxa de 2021, espera-se que a produção de queijo da China atinja 20 mil toneladas em 2022. Devido ao impacto das restrições do COVID-19 da China, os funcionários dos correios reduziram as estimativas de consumo para 190 mil toneladas de 194 mil toneladas em 2021.

O serviço de alimentação é um importante canal para distribuição e consumo de queijo, e os lockdowns de 2022 e restrições contínuas ao serviço de alimentação, inclusive em cidades ricas como Xangai e Shenzhen, prejudicaram o consumo.

De acordo com o relatório, quaisquer lockdowns prolongados resultarão em novas quedas no consumo de queijo e nos gastos com HRI (hotéis, restaurantes e institucional) em 2022. A produção de manteiga da China é estimada em 12 mil toneladas, enquanto as importações são estimadas em 150 mil toneladas, um aumento de 8% em relação a 2021.

A produção doméstica de manteiga é mais cara do que a importada devido aos custos mais altos do leite cru, mas espera-se um crescimento em 2022, impulsionado pela necessidade imediata de manteiga como ingrediente em produtos de valor agregado. Estima-se que os setores de panificação e food service, que dependem de produtos de manteiga importados, consumam 160 mil toneladas de manteiga. Os dados da Alfândega da China são usados para calcular as importações de manteiga. (As informações são do Krishi Jagran, com dados do relatório USDA, traduzidas e adaptadas pela equipe MilkPoint)


 

Jogo Rápido 

Umidade, chuva e frio persistem no Estado nos próximos dias 
Na próxima semana, o Rio Grande do Sul vai continuar a lidar com muita umidade, chuva e frio. É o que aponta o Boletim Integrado Agrometeorológico 24/2022, elaborado pela Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), a Emater/RS-Ascar e o Irga. Na sexta-feira (24/06), a propagação de uma nova frente fria vai provocar chuva em todo o Estado. No sábado (25) e domingo (26), o ingresso de uma massa de ar frio vai provocar o declínio acentuado da temperatura, com grande variação de nuvens e períodos de céu encoberto em todas as regiões. Há possibilidade de chuviscos e garoas nos setores Leste, Nordeste e Norte. Entre segunda (27) e terça-feira (28), o deslocamento de uma área de baixa pressão e de uma frente fria provocarão aumento da nebulosidade e pancadas de chuva na maioria das regiões. Na quarta-feira (29), o ingresso de uma nova massa de ar seco e frio afastará a nebulosidade e provocará o declínio das temperaturas. Os volumes de chuva previstos deverão oscilar entre 20 e 50 mm na maior parte do Estado. Na Fronteira Oeste, Campanha e Zona Sul, os valores oscilarão entre 50 e 70 mm na maioria dos municípios. Acompanhe todas as edições do Boletim Integrado Agrometeorológico em www.agricultura.rs.gov.br/agrometeorologia. (SEAPDR)
 

 
 
 
 
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.