Pular para o conteúdo

02/12/2021

Newsletter Sindilat_RS

Porto Alegre, 02 de dezembro de 2021                                                  Ano 15 - N° 3.553


Simpósio ABIQ - Pós pandemia, que novos desafios 2022 trará?

Simpósio ABIQ – Na tarde desta quarta-feira (02), foi realizado o 11º Simpósio da Associação Brasileiras das Indústrias de Queijo (ABIQ). O encontro foi realizado de forma virtual e contou com diversas palestras abordando o tema: “Pós pandemia, que novos desafios 2022 trará?”

A abertura ficou por conta do Presidente da ABIQ, Fábio Scarelli que apresentou os highlights do setor e aproveitou para discorrer sobre a importância da promoção do consumo de queijo falando diretamente com o consumidor. Para isso, a ABIQ juntamente com seus associados, que agora já contam com 144 no total, estão promovendo uma campanha nas redes sociais para incentivar o consumo de queijos. #HoradoQuejo  

A Diretora de Client & New Business da Kantar Br, Raquel Ferreira fez sua palestra mostrando os principais dados do consumo de queijo no Brasil e no mundo, e a mudança de hábitos de consumo do brasileiro no pós-pandemia.  

Em sua palestra, ela demonstrou que o brasileiro prioriza praticidade na hora da escolha de seus alimentos e que a pandemia reforçou o consumo dentro de casa devido aos lockdowns globais fazendo com que as famílias tenham mais momentos reunidos à mesa. Outro fator que incentivou o consumo dentro de casa foi o trabalho remoto.  

Com o maior consumo dentro dos lares, a refeição que se tornou uma tendência mundial foi os lanches. Com isso, entra o maior consumo de queijos, que são ótimas opções de lanches rápidos, saborosos e nutritivos.  

De acordo com os dados da Kantar, trazidos pela Raquel Ferreira, houve um aumento no consumo de queijos por prazer, e uma queda de consumo por hábito. Isso mostra que o brasileiro experimentou queijos, mas ainda não tem a rotina recorrente de consumo enraizada. Para ela, isto é um ponto em que precisamos trabalhar.  

As perspectivas para consumo de queijos em 2022 são positivas, com números expressivamente mais altos do que em 2019, aponta Raquel.  

A segunda palestra foi ministrada pelo jornalista Ricardo Voltolini, que é Diretor-Presidente da Ideia Sustentável. Ele falou sobre as tendências em ESG: as mudanças climáticas e os desafios da revolução da sustentabilidade.  

Nunca se discutiu tanto sobre sustentabilidade. Por que estamos tratando deste tema com maior urgência? Para Ricardo, dois fatores contribuíram para essas discussões, primeiro a ciência do clima que nos mostra os desafios ligados ao aquecimento global e mudanças climáticas, e o segundo a ascensão da geração dos Millennials, que são jovens entre os vinte e trinta anos que estão assumindo o controle das empresas, estão comprando os produtos e que são conectados com o propósito de sustentabilidade.  
Ricardo diz que a sustentabilidade deixou de ser um tema tático e passou a ser um tema estratégico dentro das empresas. E que o ESG (Traduzido do inglês - Governança Ambiental, Social e Corporativa) traz um novo conceito de consciência coletiva das empresas imerso nos fatores sociais e ambientais.  

“O desafio é olhar para o tema e ver como ele pode ser ajustado ao meu negócio e estratégia e como pode trazer benefícios, e não olhar pela perspectiva de quais empecilhos pode me trazer”, diz o diretor.  

O evento foi finalizado com a palestra do Sócio e Diretor Presidente da Tendências Consultoria Econômica, Gustavo Loyola que apresentou as perspectivas para o cenário da economia brasileira. Loyola fez um overview do cenário econômico internacional e nacional mostrando as perspectivas econômicas para 2022.

O 11º Simpósio da ABIQ foi gravado e ficará disponível para posterior acesso em seu site na área dos associados. (Terra Viva)

Uruguai – O setor lácteo exporta mais de US$ 1.000 por hectare
 
Exportações/Ur – O presidente do Instituto Nacional do Leite (Inale), Daniel Vago, afirmou que a “cadeia de valor do leite é estratégica para o Uruguai por várias razões” e entre elas, porque exporta mais de US$ 1.000 por hectare.
 
Pegando os hectares que temos e dividindo pelos 700 mil hectares destinados à produção de leite, dá mais de US$ 1.000 por hectare, quase igual ao arroz”.
 
Durante a posse do novo presidente da Associação Nacional dos Produtores de Leite (ANPL), Leandro Galarraga, Vago destacou em seu pronunciamento o trabalho que vem sendo realizado pelo Inale, diante da reclamação de que são necessárias políticas leiteiras.
 
“Todo dólar que é investido no setor lácteo multiplica muito mais que na construção. Gera emprego, bem-estar e divisas. Essa é a intenção da política pública”, afirmou.
 
O executivo explicou que no Inale se trabalha em três níveis, junto com as associações de produtores que integram o Instituto.
 
“O Conselho Executivo nos problemas do dia a dia. As instituições agrícolas com todos os institutos que dependem do Ministério da Pecuária Agricultura e Pesca (MGAP). Estamos trabalhando junto com o Ministro Mattos e o Subsecretário Buffa e o diretor para racionalizar os recursos e trabalhar de forma horizontal”, enfatizou Valo.
 
O terceiro ponto: “a comissão de desenvolvimento de laticínios, que é composta pelos mesmos membros do Conselho Executivo do Inale, mas em um ambiente mais informal para trabalhar com uma visão de longo prazo – 15 anos”.
 
Disse: “todas as contribuições foram recebidas e queremos que o Inale discuta e elabore um Plano Estratégico de 15 anos. Já existem coisas definidas, como 50% mais leite nos próximos 15 anos. Apostamos na inclusão de jovens mais tecnológicos. A questão ambiental foi definida como prioritária e a inserção internacional. O Ministério das Relações Exteriores está trabalhando muito”, disse Vago. (Fonte: El País - Tradução livre: www.terraviva.com.br)


Estudo mostra importância dos lácteos para prevenir fraturas

Um novo estudo, entitulado "Fontes dietéticas de cálcio e proteína reduzem fraturas de quadril e quedas em adultos idosos institucionalizados [sob cuidado de organizações]: um ensaio clínico controlado randomizado por cluster" foi publicado no British Medical Journal.

Liderado por pesquisadores da Universidade de Melbourne e da Austin Health, o Fractures Trial investigou como a comida servida em instalações de cuidados de idosos afetava a saúde dos residentes.

Sessenta instituições e mais de 7 mil residentes participaram do estudo ao longo de dois anos, onde metade das instalações continuou com seu menu regular e a outra metade aumentou suas porções de lácteos (leite, queijo, iogurte e leite em pó desnatado) de uma média de 2 para 3,5 porções por dia.

Os pesquisadores descobriram que essa alteração na dieta resultou em uma série de mudanças clinicamente significativas, incluindo:

Melhoria na ingestão de cálcio e proteína;
Redução de 33% em todas as fraturas;
Redução de 46% nas fraturas de quadril;
Redução de 11% nas quedas.

A intervenção foi considerada segura, eficaz, acessível e saborosa, fornecendo evidências de que o fornecimento de alimentos lácteos é uma solução eficaz para quedas e fraturas. O estudo foi parcialmente financiado por nove organizações internacionais de laticínios. Leia o novo estudo aqui. (As informações são da International Dairy Federation (IDF), traduzidas pela Equipe MilkPoint)



Governo do Estado lança Avançar na Agropecuária e no Desenvolvimento Rural nesta quinta, dia 2
 
O governo do Estado anunciou nesta quinta-feira (2/12) o Avançar na Agropecuária e no Desenvolvimento Rural. Será um investimento histórico para o fortalecimento do setor responsável por grande parte do PIB gaúcho.
 
Participaram do lançamento, às 14h, no Salão Negrinho do Pastoreio do Palácio Piratini, na capital, o governador Eduardo Leite e a secretária da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Silvana Covatti. Assista no canal oficial do governo do Estado no Youtube clicando aqui. (SEAPDR) 

 Jogo Rápido

Santa Clara lança Queijo Maasdam​
A tradição em produzir queijos de qualidade e variedade acompanha a Santa Clara desde o início de sua trajetória, há quase 110 anos. E para oferecer experiências marcantes ao paladar dos consumidores, a Cooperativa amplia constantemente sua linha de produtos, trazendo novos sabores e origens, sempre carregados de história. É com essa bagagem que chega ao mercado o novo Queijo tipo Maasdam Santa Clara. Tradicional da Holanda, o produto conta com maturação de 45 dias e entre suas as características está a cor amarela pálida e grandes olhaduras.  Ideal para degustar com frutas como maçã, uva branca, cereja, morango, é perfeito para compor tabuas de queijos especiais. Também é ótimo para fondues e sopas. Já a harmonização pode ser realizada com espumantes brut, vinhos brancos como Riesling e tintos frutados, além de cervejas do tipo cervejas Golden, Blond Ale e Trippel. O Queijo Maasdam Santa Clara está disponível em embalagens Skin Pack, em cunhas de aproximadamente 180g. O lançamento integra uma linha composta por 42 tipos de queijos em 90 apresentações para tod

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.