Pular para o conteúdo

31/08/2020

 

Porto Alegre, 31 de agosto de 2020                                              Ano 14 - N° 3.296

Leite/América do Sul

No Cone Sul da América do Sul, Argentina, Uruguai e Chile, a produção de leite nas fazendas continua aumentando, principalmente, onde as condições do tempo proporcionam melhoria das pastagens. A expectativa é de que os volumes continuem crescendo na primavera.

De acordo com observadores, a oferta de leite cru é suficiente para atender as necessidades dos processadores.
A região está se acostumando com os protocolos de distanciamento social e ameaça do coronavírus, incorporando os procedimentos às normas operacionais das fábricas. As indústrias de laticínios procuram se adaptar às mudanças dos padrões de consumo, o que significa produzir mais leite fluido, particularmente, leite UHT. A produção de queijo destinada a pizzarias e restaurantes vem melhorando assim que o setor de serviços de alimentação retorna lentamente.

No Brasil o clima seco persiste, comprometendo o crescimento e a qualidade das pastagens. E mesmo que a produção de leite esteja crescendo lentamente, os volumes estão abaixo dos níveis registrados um ano antes. Os operadores das indústrias esperam por melhores condições climáticas na primavera, já que o fenômeno La Niña pode trazer mais chuvas em algumas das maiores bacias leiteiras. No momento a oferta de leite cru está aquém das necessidades de processamento. As indústrias continuam priorizando a produção de leite UHT em relação a outros produtos lácteos, já que é o item lácteo favorito dos consumidores durante a Covid-19.  (Usda – Tradução Livre: Terra Viva)

 

Leite/Oceania
A Austrália foi beneficiada com as recentes chuvas sobre as grandes regiões produtoras de leite, deixando o inverno ameno. O resultado são estoques confortáveis de ração e feno no início dessa nova temporada.
Os produtores estão com menor necessidade de transportar alimentos e manter estoques elevados. Os preços do feno caíram, contribuindo para melhorar a lucratividade dos produtores de leite.

Produção de leite na Europa cresceu 1,9% no primeiro semestre

Os dados do European Milk Market Observatory mostram um crescimento da produção, até junho de 2020, de 1,9% em relação ao mesmo período em 2019. Todos os principais produtores da União Europeia (UE) apresentam evolução positiva, com a França registrando aumento de 0,7% enquanto a Alemanha, de 1%. Os Países Baixos e a Polônia apresentam aumentos significativos de 2,4% e 2,8% na produção de leite no primeiro semestre de 2020, enquanto a Espanha e a Irlanda são os que apresentam os melhores valores com aumentos de 3,1% e 3,5%. 

Em relação ao mês de junho, destaca-se que houve um aumento geral de 1,4% com 173 mil toneladas de leite produzidas a mais que no mesmo mês em 2019. A Polônia é o país com maior percentagem e crescimento numérico, com um acréscimo de 4,5%, o que se traduz em mais 47.000 toneladas; seguido pela Irlanda, cuja produção aumentou em 2,9% com 30.000 toneladas de leite coletadas pelas indústrias a mais do que na temporada anterior. Holanda e Espanha se movimentam em cifras semelhantes, com aumentos percentuais de 0,9% e 0,7% com 11.000 e 5.000 toneladas a mais, respectivamente. 

O principal produtor, a Alemanha, teve aumento de 0,2% com mais 6.000 toneladas, enquanto na França houve uma diminuição da produção de 0,5%, que se traduz em uma redução de 9.000 toneladas. (As informações são do Agronews Castilla y León, traduzidas pela equipe do MilkPoint)

Nova torre de secagem da Lactalis tem data para ser inaugurada
A Lactalis Ingredients, a líder mundial na produção de soro de leite, está instalando uma nova torre em Verdun na França que será inaugurada ainda no verão de 2020. A companhia disse que isso significa o aumento da oferta da sua linha Flowhey de soro em pó em seus dois locais de produção em Mayenne e Verdun. O mercado global de soro de leite é extremamente dinâmico. A quantidade de soro líquido disponível para a indústria internacional está crescendo mais e mais a cada ano. Esse crescimento é impulsionado pelo produção de produtos lácteos: 2% ao ano de queijos. Embora os EUA continue sendo o maior exportador de soro e derivados de soro, com 400.000 toneladas por ano, a Lactalis Ingredients diz que a Europa é o líder na exportação mundial com mais de 600.000 toneladas por ano. A Lactalis Ingredients disse que agora está se posicionando como a maior produtora mundial de soro de leite desmineralizado. A Lactalis Ingredients desenvolve produtos como soro de leite em pó e outros ingredientes lácteos para atender às necessidades específicas da indústria de alimentos. (Dairy Reporter – Tradução livre: Terra Viva)
 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *