Pular para o conteúdo

23/10/2019

Porto Alegre, 23 de outubro de 2019                                              Ano 13 - N° 3.093

Cade aprova compra da linha de UHT da Nestlé pelo Laticínios Bela Vista

A compra da linha de UHT, pelo Laticínios Bela Vista (dona da marca Piracanjuba), do capital social da Nestlé foi aprovada nesta terça-feira (22/10) pela Superintendência-Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Em agosto, a Nestlé Brasil e o Laticínios Bela Vista, anunciaram um acordo que firma parceria entre as duas empresas para a produção e distribuição de leite UHT no país. Por meio desse acordo, a Nestlé licenciou as suas marcas Ninho e Molico, exclusivamente para o segmento de leite líquido no Brasil, para o Laticínios Bela Vista, por um período de dez anos. O objetivo da parceria é que os donos da marca Piracanjuba acelerem a expansão do segmento UHT no país a partir de sua reconhecida expertise no mercado de leites e posicionem as duas marcas icônicas da Nestlé como líderes também nessa categoria.

A análise do Cade se concentrou no segmento de leite dos Estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Paraná, mas a aquisição não levou a um domínio superior a 30% desses mercados. “A operação é incapaz de suscitar problemas concorrenciais, podendo ser aprovada sem restrições”, ressaltou o órgão antitruste.

Com base nesse parecer, o negócio não precisará ser enviado para julgamento no tribunal do Cade. A transação já obteve aval e poderá ser concluída. Segundo a Nestlé, “a operação pretendida está em linha com sua estratégia global de revisão de seu portfólio de produtos, dentro de seu atual plano estratégico”.

“Conclui-se que a presente operação não suscita preocupações concorrenciais”, enfatizou a superintendência do Cade.
Pelo acordo entre as empresas, o Laticínios Bela Vista assumirá as unidades da Nestlé que hoje produzem os leites UHT, aproveitando, assim, as linhas já instaladas e, principalmente, absorvendo os funcionários dessas localidades: Três Rios (RJ) e Araraquara (SP) e parte da fábrica de Carazinho (RS). Dessa forma, os colaboradores da Nestlé que atuam nesses núcleos serão transferidos para a nova empresa e contribuirão para as estratégias de crescimento e aceleração dos negócios no setor. (Valor Econômico)

Leite Seleção é a novidade da Cooperativa Santa Clara

Certa da importância de apresentar novidades e produtos de excelência aos seus consumidores, a Cooperativa Santa Clara lança o Leite Seleção. O produto, que chega aos supermercados neste mês na região Sul do país, diferencia-se dos demais pela redução do tempo entre a coleta e a venda do leite, intensificando e reforçando a proposta de bebida fresca.
 

Proveniente de oito famílias selecionadas e devidamente certificadas de Carlos Barbosa, cujos tambos estão localizados a no máximo 12 quilômetros de distância da indústria, o Leite Seleção substitui o anteriormente chamado Leite B. O produto, disponibilizado na versão tradicional Integral, em garrafa ou saquinho de 1 litro, mantém as mesmas características já conhecidas pelo consumidor, conservando seu sabor e cremosidade devido ao teor de 3,5% de gordura.

As embalagens também ganham destaque, agora com roupagens mais modernas, confeccionadas de materiais recicláveis. Transparentes, também permitem a melhor visualização da bebida pelos consumidores. Outro detalhe é a ausência do selo de vedação na garrafa, que foi substituído pelo moderno sistema de tampa batoque, mantendo a segurança e a qualidade do produto.
Além disso, o Leite Seleção também ganha a versão semidesnatada, que tem redução de até 71% no teor de gorduras totais, sendo ideal para quem busca por alimentos com menor índice calórico. A bebida, que traz o frescor e a leveza necessários para muitas receitas, chega às gôndolas em forma de garrafa de 1 litro.

O conhecido Leite C também passa a se chamar Leite Fresco, sendo vendido na versões Integral e Light Form, em saquinhos e garrafas, ambos de 1 litro. (Cooperativa Santa Clara) 

 
Número preliminares da média diária das importações de leite e derivados
Importação de leite e derivados - Os números preliminares da média diária das importações de leite e derivados, em dólar, na terceira semana de outubro de 2019 foram, 32,0% menores que os de outubro de 2018 e 15,1% menores em relação a setembro de 2019. (MDIC)
 
 
 
 
A Federação Internacional de Laticínios (IDF, em inglês), a fonte global de expertise em laticínios com base científica desde 1903, recebeu a Rússia e o Quênia como membros, elevando o número de estados membros da Federação para 43. A presidente da FIL/IDF, Judith Bryans declarou que “Estamos felizes em receber a Rússia e o Quência como membros. Esperamos trabalhar com eles nas principais questões que o setor de laticínios global enfrenta atualmente. Ter esses países na mesa, ao lado de outros membros, é incrivelmente importante, acrescentando ainda mais força à nossa voz, conhecimento e experiências globais. Ao receber esses dois novos membros, a FIL/IDF demonstra ainda mais seu valioso e crescente alcance, ambição e influência no setor global de laticínios”. Como membros da FIL/IDF, o Quênia e a Rússia se beneficiarão ao fazer parte de uma rede dinâmica de especialistas em laticínios, cujo objetivo é apoiar e desenvolver o setor em todo o mundo. As atividades dos membros da FIL/IDF promovem o diálogo sobre políticas, estabelecem vínculos, fomentam parcerias, desenvolvem capacidade e melhores práticas para o setor de laticínios em todo o mundo. ”Com a entrada desses dois paíse, a FIL/IDF agora representa mais de 75% da oferta de leite mundial”, acrescentou Carolin Emond. O Comitê Nacional da FIL/IDF da Rússia será liderado por Belov Artyom, CEO da Souzmoloko, A União Nacional Russa de Processadores de Laticínios, e o Comitê Nacional da FIL/IDF do Quênia terá  na liderança, Margaret Kibogy, diretora administrativa do Conselho de Laticínios do Quênia. (Dairy Industries – Tradução livre: Terra Viva)

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *