Pular para o conteúdo

12/04/2019

Porto Alegre, 12 de abril de 2019                                              Ano 13 - N° 2.958

    Leite/América do Sul 

Na Argentina e Uruguai, a produção de leite está variando entre estável, e crescimento, bem de acordo com os padrões sazonais. No entanto, as elevadas temperaturas e constantes inundações em muitas bacias leiteiras durante o último verão, fizeram com que a produção tenha sido mais baixa do que a registrada um ano antes. 

Em alguns lugares, a oferta de leite da fazenda está sendo menor do que as necessidades de processamento das fábricas, que não seja engarrafamento. Com essa queda na oferta de leite, o processamento de queijo e leite em pó está sendo prejudicada. Assim sendo, alguns processadores estão focando, exclusivamente, no mercado interno e cumprimento de algumas obrigações contratuais com mercados internacionais.

Enquanto isso, as demandas de leite fluido pelo varejo e restaurantes estão boas. No entanto, a oferta de creme está muito apertada, em um mercado altista. No momento o clima no Brasil está bom, estimulando a qualidade e o crescimento das plantações de milho. Assim, o setor espera uma colheita de milho (safrinha) muito boa para este ano, que deve começar no início de maio. Assim, a expectativa dos produtores de leite é de terem alimentos concentrados mais baixos. A produção de leite se mantém estável, e as fábricas trabalham intensamente para abastecer instituições de ensino e restaurantes. (Usda – Tradução Livre: Terra Viva)

 
 
                 

Pesquisa inédita da CNA aponta demandas dos produtores rurais

Uma pesquisa inédita da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) feita com produtores rurais de todo o país identificou as principais demandas e gargalos do segmento. O levantamento mostrou que 59,93% dos entrevistados disseram que o crédito rural é a demanda mais importante para o campo.

O resultado do trabalho foi entregue nesta quinta (11) pelo presidente da CNA, João Martins, ao secretário-executivo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Marcos Montes, durante o Painel sobre o Selo de Integridade do Mapa, em Brasília. Na avaliação de Martins, o levantamento é fundamental para a discussão de mais políticas para o setor agropecuário e reforça a necessidade de um Plano Safra plurianual.

“O crédito agrícola tem ficado menor. Está na hora de ter um projeto de cinco anos para o produtor saber, no decorrer desse tempo, o que ele vai encontrar para poder dimensionar as necessidades e buscar os recursos. Nos próximos anos vamos passar de 300 milhões de toneladas de grãos e essa expansão será por tecnologia e dependerá de termos crédito”, afirmou Martins.

“Esse trabalho da CNA, indo perguntar diretamente para o produtor o que ele quer, vai nos dar um norte, um direcionamento, ao saber que o produtor rural quer crédito, mas também quer logística e segurança jurídica. A pesquisa ressalta os principais pontos. Todas as ações do Ministério são feitas com as entidades e esse trabalho será avaliado na construção do Plano Safra”, disse Marcos Montes, que representou ministra Tereza Cristina no evento.

Pesquisa - A pesquisa foi coordenada pelo Instituto CNA, que ouviu quase 1.282 produtores por meio de um formulário eletrônico de 1º de março e 5 de abril. A partir das respostas, foi possível constatar um ranking das 10 demandas consideradas como as mais prioritárias.

Os custos de produção estão na segunda colocação na lista de pontos mais importantes, segundo 49,7% das pessoas ouvidas, seguidos por infraestrutura e logística (40,9%), qualificação de mão de obra (36,1%) e questões ambientais (35,2%).

“O objetivo do levantamento foi saber a opinião do produtor rural que está lá na base sobre o que ele de fato precisa. Esta pesquisa vai subsidiar a CNA na proposição de políticas públicas para o agro no governo e no Congresso Nacional”, explica o secretário-executivo do Instituto, André Sanches.  

A pesquisa também apontou outras necessidades e problemas do segmento produtivo segundo os produtores rurais. Segurança jurídica (22%), criminalidade no campo (21%), questões trabalhistas (20%), endividamento (15,5%) e questões fundiárias (11,5%) fecham a lista dos tópicos classificados como prioritários para quem vive e trabalho no meio rural.

A pesquisa também dividiu os resultados entre agricultura e pecuária. O crédito rural foi apontado como a maior necessidade para 59,1% dos agricultores e 62% dos pecuaristas. As quatro principais demandas são as mesmas nos dois segmentos. Depois do crédito, vêm os custos de produção, logística e infraestrutura e qualificação de mão de obra. 

O levantamento também dividiu as demandas dos produtores em 12 atividades, nas quais o crédito rural é a principal em oito culturas (café, cana-de-açúcar, fruticultura, grãos, bovinocultura de corte, bovinocultura de leite, caprinos e ovinos e suinocultura).

Na horticultura e na avicultura, o custo de produção é o item mais importante para os produtores. A questão ambiental é a principal necessidade na silvicultura e a qualificação de mão de obra é primeiro item da lista de prioridades na aquicultura. (As informações são da Assessoria de Comunicação CNA/SENAR)

UE: medida que proíbe empresas veganas de usar os termos 'leite' e 'hambúrguer' será votada em maio

A União Européia estuda banir o uso de termos como “hambúrguer”, ‘leite” e "carne” por empresas veganas e vegetarianas. O comitê de agricultura do grupo passou este mês a medida que será votada em maio pelo parlamento europeu. A regra representa uma vitória para a indústria tradicional e promete testar a criatividade das empresas para atrair o consumidor para produtos alternativos sem origem animal.

A possível decisão só evidencia uma tendência em limitar o marketing das novas empresas de alimentos na Europa. Em 2017, a empresa alemã Tofu Town já tinha perdido um caso legal para o uso dos nomes “manteiga de tofu” e “queijo de tofu” nos seus produtos.

No entanto, os Estados Unidos têm adotado uma posição a favor das empregas veganas. Recentemente, um juiz na Califórnia rejeitou um caso contra a empresa de leite de amêndoas Blue Diamond Growers, dizendo que o argumento de que os consumidores se confundiam com os termos era “implausível”.

Essas discordâncias podem gerar uma série de regulações sobre esses tipos de produtos, que no futuro pode afetar diretamente o processo de marketing e design, tornando-os mais caros.

A medida estudada pela União Europeia impactaria novas companhias pensando em alternativas à carne. Recentemente, o Burger King, por exemplo, anunciou parceira com a Impossible Foods, que faz o Impossible Burger, um hambúrguer vegetal que emula a textura da carne. (As informações são da revista Época Negócios)
 
Santa Clara
A Cooperativa de laticínios mais antiga em atividade no país completou no dia 10 de abril 107 anos de história. Com sede em Carlos Barbosa, a Santa Clara atualmente conta com 5.500 associados e captação de leite em mais de 125 municípios. Diariamente, mais de 750 mil litros de leite são recebidos e industrializados pela Cooperativa. Os 2.100 funcionários estão distribuídos entre as três indústrias de laticínios, indústria de leite longa vida, frigorífico, suinoculturas, fábrica de rações, cozinha industrial, farmácia, 11 supermercados, 15 mercados agropecuários, centros de distribuição, assistência técnica ao produtor e setores de suporte. A linha de produtos compreende mais de 340 itens entre Laticínios, Frigorífico, doces de fruta e sucos. (Página Rural)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *