Pular para o conteúdo

22/02/2021

Newsletter Sindilat_RS

Porto Alegre, 22 de fevereiro de 2021                                                  Ano 15 - N° 3.407


Projeto regional visa maximizar eficiência de sistemas de irrigação

A Emater/RS-Ascar, vinculada à Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), através do Escritório Regional de Frederico Westphalen, juntamente com a Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), campus de Frederico Westphalen, iniciaram um projeto de pesquisa pioneiro para caracterização das condições físico-hídricas do solo da região, a fim de dar suporte ao manejo de sistemas de irrigação na região.

A intenção do projeto, desenvolvido com a participação do Laboratório de Física do Solo, do curso de Agronomia da UFSM/FW, é possibilitar aos agricultores que fazem uso de sistemas de irrigação o conhecimento sobre o momento mais adequado para utilização dessa ferramenta. O objetivo dessa pesquisa é apresentar aos produtores um esquema que o permita saber o melhor momento para ligar e desligar sua irrigação, de acordo com as necessidades da sua propriedade e da sua produção. “Dessa forma, o produtor irá manejar de maneira mais eficiente o sistema de irrigação, aplicando o volume correto de água, no momento que a planta mais necessita, evitando desperdícios de energia e água”, explicou o extensionista rural e coordenador regional de recursos naturais da Emater/RS-Ascar, Carlos Roberto Olczevski.

De acordo com o gerente regional da Emater/RS-Ascar, Luciano Schwerz, um dos fatores que motivaram a inciativa foi a forte estiagem enfrentada pela região em 2020. "No último ano, a região passou por uma severa estiagem, e nos chamou a atenção a ociosidade dos sistemas de irrigação e a baixa produtividades em algumas áreas irrigadas. Por essa razão, procuramos a universidade, para juntos profissionalizarmos a atividade, garantindo precisão e eficiência nas propriedades rurais", observou.

Na primeira etapa do projeto as duas instituições desenvolverão diferentes papeis. A Emater/RS-Ascar é responsável por identificar os agricultores irrigantes nos municípios da região, traçando a logística de transporte dos estudantes da universidade até as propriedades, a fim de realizarem a coleta das amostras do solo.

O professor da UFSM/FW, Vanderlei Rodrigues da Silva, coordenará o processo de análise das amostras de solo, que serão avaliadas de acordo com as diferenças nas curvas de retenção de água, buscando uma medida que represente os diferentes tipos de solos da região e sua capacidade de retenção de água. "Estas informações, junto com o coeficiente da cultura irrigada, a temperatura ambiente e as chuvas ocorridas nos dias anteriores, poderão definir o momento correto de irrigar uma lavoura", observou Vanderlei.

O passo seguinte será coletar o maior número de amostras de solo em todos os municípios. Até o momento foram coletadas amostras de sete diferentes lavouras irrigadas. É preciso aumentar essa área de amostragem, para que seja possível chegar às informações que representem a capacidade de retenção de água dos solos da região. "Outro objetivo desse projeto é desenvolver um aplicativo de fácil utilização pelos agricultores irrigantes, o qual permitirá a eles saberem qual o momento exato que deverão ligar e desligar seus sistemas de irrigação. Sistemas similares já existem, mas há custos que muitos agricultores não podem acessar, por isso a intenção é disponibilizar este aplicativo de maneira gratuita aos agricultores familiares da região", completou Olczevski. (Assessoria de Imprensa Emater/RS-Ascar - Regional de Frederico Westphalen)


Valor Bruto da Produção pode atingir R$ 1 trilhão até o fim deste ano

Houve acréscimo de 11,8% em relação ao ano passado. Os preços agrícolas favoráveis para grande parte dos produtos e as boas previsões para a safra deste ano foram fatores decisivos para o resultado

O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) está estimado em R$ 1,002 trilhão para este ano de 2021. Houve um acréscimo real de 11,8% em relação ao ano passado (R$ 896,7 bilhões).  As lavouras projetam valores  de R$ 688,4 bilhões e a pecuária de R$ 314,5 bilhões. O acréscimo em relação ao ano de 2020 foi de 15,2% nas lavouras e 5,1% na pecuária. Os dados incluem as estatísticas atualizadas de janeiro deste ano.

“Dois fatores são decisivos para este resultado: preços agrícolas favoráveis para grande parte dos produtos e boas previsões para a safra deste ano”, analisa José Garcia Gasques, coordenador da pesquisa do VBP e coordenador geral de avaliação de Políticas e Informação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Desempenho favorável vem sendo apresentado pelo amendoim, com acréscimo de 4,9% no faturamento, arroz 9,6%, batata-inglesa 6,8%, cacau 14,9%, laranja 5,9%, mandioca 5,6%, milho 23,2% e soja 30,3%. Na pecuária, os destaques são os aumentos de 9,9% no VBP de carne bovina, 22,5% na carne de frango e 5% em leite. Os maiores valores do VBP são os de milho com R$ 126 bilhões e soja R$ 326,8 bilhões.  (MAPA)

 

 

 

Inverno ‘brutal’ nos Estados Unidos prejudica produtor e agroindústria

Condições adversas deste inverno interrompem o processamento, atrapalham o transporte e provocam a morte de gado no Meio-Oeste e no sul do país

As condições climáticas brutais deste inverno americano continuam a assolar o agronegócio do país, onde empresas e agricultores enfrentam neve, gelo e temperaturas baixíssimas que interrompem o processamento, atrapalham o transporte e provocam a morte de gado no Meio-Oeste e no sul.

O frio intenso vem provocando problemas do Kansas ao Alabama, segundo autoridades estaduais e representantes do setor. Apagões de energia obrigaram frigoríficos a fechar temporariamente, enquanto rios congelados impedem a navegação de barcaças e criadores têm que se esforçar para salvar bezerros nascidos em campos congelados.

Calcula-se que as interrupções no processamento e no transporte e as mortes de animais custarão milhões de dólares ao setor. “A Mãe Natureza é realmente uma parceira de negócios complicada, e tem sido bastante implacável nos últimos dias”, afirmou Blayne Arthur, comissária agrícola do Estado de Oklahoma.

A tempestade e suas repercussões afetaram redes elétricas, provocando blecautes sucessivos e o direcionamento dos estoques de gás natural para as residências. E as limitações no suprimento de gás levaram a Cargill, uma das maiores processadoras de carne dos EUA, a suspender as atividades em três frigoríficos no Texas na quinta feira, segundo um porta-voz da empresa. As dificuldades de transporte também desaceleraram o ritmo das operações com rações e grãos em outros Estados.

A Tyson Foods maior indústria de carne bovina dos EUA, fechou temporariamente ou reduziu as operações em algumas instalações no Arkansas por preocupação com a segurança dos funcionários e pelas limitações de energia, de acordo com um porta-voz. A Pilgrim's Pride , outra grande processadora de frango, controlada pela JBS, suspendeu parte das operações, e a gigante de carne suína Smithfield Foods.

informou instalações no Meio-Oeste foram afetadas por interrupções no fornecimento de eletricidade e água. Produtoras de grãos também têm sentido o impacto. A falta de gás natural levou a ADM a restringir a produção em algumas unidades, segundo uma porta-voz. O acúmulo de gelo nos rios forçou algumas operadoras de barcaças de transporte de grãos a suspender as operações, disse o Waterways Council, entidades da área de transporte fluvial.

Diante da previsão de mais uma tempestade de neve, que afetaria desde o Oklahoma até a região do Médio Atlântico, autoridades agrícolas dizem que os efeitos do inverno rigoroso prolongado poderão continuar a ser sentidos por meses.

Mike Beam, secretário do Departamento de Agricultura do Kansas, disse que a onda de frio deixará os pecuaristas e frigoríficos do Estado, um grande produtor de carne, com um gado bem mais magro, uma vez que os animais gastam mais calorias para manter o calor. Em Oklahoma, Arthur disse que estimativas apontam que cerca de 15% nos bezerros recém-nascidos poderiam morrer.

Clay Burtrum, que cria gado perto de Stillwater, Oklahoma, tem passado os últimos dias percorrendo suas pastagens à procura de vacas dando à luz. Na tarde da última segunda-feira, ele disse ter colocado um bezerro recém-nascido todo molhado no banco do passageiro de sua picape, com o aquecimento no máximo, para secá-lo e devolvê-lo à mãe.

A neve e o frio também deverão causar perdas em plantações que normalmente se dão bem nos invernos moderados do sul. No Texas, campos de couve e repolho podem ter se perdido totalmente e pomares cítricos foram afetados, segundo o presidente do Departamento Agrícola do Estado, Russell Boening. Autoridades agrícolas da Louisiana e do Alabama mostravam temor com os danos do frio aos campos de morango e com a perda de forragem para o gado, e as baixas temperaturas também ameaçam a produção de lagostins. No Arkansas, a cadeia do frango é uma das mais afetadas. (Valor Econômico)


Jogo Rápido

Uruguai – Preço do leite ao produtor em janeiro melhora 4%
Preço/UR – O preço do leite ao produtor no mês de janeiro de 2021 foi de 13,26 pesos o litro, o que corresponde a US$ 0,31/litro (R$1,69)*. Representa aumento de 4,6% em relação ao mês anterior em pesos, e de 4,3% em dólares. O quilo de sólidos totais teve aumento de 3,1% em relação a dezembro de 2020, ficando em 185,5 pesos.  O preço pago em janeiro de 2021 representa o maior valor nominal dos últimos anos, e é 10% maior do que o valor pago em janeiro de 2020. Entretanto, em dólar, houve queda em relação ao mesmo mês do ano passado, quando o valor de 12,05 em pesos, correspondia a US$ 0,32 (R$1,36)**. (Fonte: INALE – Tradução livre: Terra Viva) *Cotação do dólar janeiro 2021: R$5,47 (Fonte: G1) **Cotação do dólar janeiro 2020: R$5,47 (Fonte: G1)
 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *