Pular para o conteúdo

05/02/2021

Newsletter Sindilat_RS

Porto Alegre, 05 de fevereiro de 2020                                                  Ano 15 - N° 3.398


Pouca chuva no Estado para os próximos dias

Após uma semana com volumes elevados de precipitação, a tendência para os próximos dias é de pouca chuva na maior parte do Estado. É o que aponta o Boletim Integrado Agrometeorológico nº 05/2021, divulgado pela Secretaria de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (SEAPDR), em parceria com a Emater-RS e Irga. 

Entre a sexta-feira (5) e o domingo (7), a presença de uma massa de ar seco manterá o tempo firme e as temperaturas amenas, com possibilidade de chuva rápida apenas no Litoral. Na segunda-feira (8), o tempo firme predominará em todo o Estado. 

Na terça (9) e a quarta-feira (10), o ingresso de ar quente e úmido favorecerá a elevação da temperatura e poderão ocorrer pancadas isoladas de chuva na maioria das regiões. Os totais esperados deverão ser inferiores a 10 mm na Campanha e Fronteira Oeste. 

No restante do Estado, os valores deverão oscilar entre 15 e 30 mm, podendo superar 40 mm na Zona Sul. 

O boletim também avalia as condições atuais das culturas de soja, milho, feijão, banana, melancia, alfafa, pastagens, bovino de corte e arroz. O documento completo pode ser consultado em www.agricultura.rs.gov.br/agrometeorologia. (SEAPDR)


Argentina: exportação de lácteos teve queda em dezembro

As exportações de lácteos da Argentina para o mundo em dezembro despencaram. A redução em dezembro de 2020 face ao mesmo mês do ano anterior foi de 31,6% em volume e 31,7% em valor.

Ressalta-se que esta publicação é provisória com dados do INDEC (Nomenclador Tarifário do Mercosul — NCM) até “termos os dados finais da Diretoria Nacional de Laticínios com base no agrupamento de 'produtos confidenciais' que não podem ser detalhados pela Lei do Sigilo Estatístico. As variações podem ser muito pequenas, pois são cerca de 8 ou 9% das exportações que estão incluídas no item confidencial e podem divergir um pouco da nossa estimativa para esse item”, afirmou o Observatório da Cadeia Láctea Argentina (OCLA).

A tabela que pode ser conferida a seguir apresenta os dados das exportações de lácteos a partir de dezembro de 2020, elaborados pelo OCLA. A distribuição das exportações em grandes itens com base no valor total em US $ para o ano de 2020 é a seguinte:

A variação mensal das exportações foi de -39,1% em volume e -37,7% em valor (dez/20 vs. nov/20). A variação interanual de dezembro de 2020 foi de -31,6% em volume e -31,7% em valor (dez/20 vs. dez/19).

As exportações de leite em pó integral, que tiveram um crescimento muito significativo (+ 74% até novembro), caíram em dezembro 56,4% em relação ao mês anterior e 51,0% em relação a dezembro de 2019, um dos menores volumes registrados para dezembro nos últimos 11 anos.
Em litros equivalentes de leite, as exportações deste ano representaram 25,1% da produção total (sendo 20,6% no ano passado), com as exportações absorvendo mais 660 milhões de litros de leite em relação a 2019.

Note-se que em 2020 foram produzidos 770 milhões a mais e 103 milhões de litros equivalentes de maior estoque inicial, com os quais as exportações absorveram a oferta agregada em sua maior proporção (75%), já que o consumo interno foi quase igual ao do ano anterior, com a diferença cobrindo o fechamento com menores estoques.

Os litros de leite exportados implicarão um aumento da participação relativa da Argentina no comércio mundial de lácteos, de 2,6% em 2019 para 3,3% em 2020 (sem considerar as transações comerciais intra-União Europeia nesses números).

Os preços do principal produto de exportação, leite em pó integral, tiveram a evolução que pode ser observada no gráfico a seguir, onde se nota uma queda significativa de preços (após a generalização dos efeitos causados pela  Covid-19 no comércio mundial), que se recuperaram parcialmente no segundo semestre.

O volume exportado de leite em pó integral aumentou devido à necessidade de colocar a maior produção (+ 7,4%), apesar dos preços internacionais não tão atrativos e com as tarifas de exportação. Para tentar não superestimar o mercado interno (que por sua vez é afetado pela presença de preços máximos e cuidados), a indústria colocou volumes adicionais nas exportações e também porque é muito oneroso para muitas empresas acumular estoques (custo financeiro da imobilização e necessidade de dinheiro para fazer frente aos pagamentos de matéria-prima, leite, insumos e processos). (As informações são do TodoAgro.com.ar, traduzidas pela Equipe MilkPoint)

 

 

Sooro Renner: fecha 2020 com recordes, distribui lucros e movimenta economia local

Com o intuito de demonstrar para todos os nossos colaboradores e parceiros os resultados do trabalho sério. Hoje nós trouxemos esta matéria mostrando todos os resultados de 2020 e as expectativas para o ano de 2021.

É a prova de que trabalhar com firmeza e assertividade sempre gera bons frutos. Para nós é um orgulho poder prestar contas dessa maneira, pois garantimos que estamos colhendo resultados sem deixar de lado nossos valores.

A Sooro Renner faturou no ano de 2020 mais de R$ 373 Milhões. Nossa produção ultrapassou as 60 mil toneladas, com um total investido de 72 milhões de reais. Também ampliamos nossa produção de concentrados proteicos de soro, conhecidos como o Whey Protein Concentrado e Whey Protein Isolado.

Junto a isso, iniciamos a implantação de mais uma torre de secagem, e diante do nosso compromisso com o meio ambiente estão sendo feitos investimentos maciços na Estação de Tratamento de Efluentes. Tudo isso para mostrar como é possível crescer, sem deixar de se preocupar com o meio ambiente.

Colocamos em prática a política de participação nos lucros e resultados para reconhecer o empenho, o esforço e a dedicação dos colaboradores na atuação direta de suas atividades. E temos consciência do envolvimento indireto em todas as ações da empresa que geram os resultados.

Temos certeza de que é somente por meio das pessoas que os processos ocorrem, por isso são merecedores em receber parte dos lucros. Está nas raízes da nossa empresa investir na política de participação.

A prática acontece desde a fundação da empresa e é tão benéfica que continuamos crescendo todos os anos. De forma consistente ao longo dos seus 20 anos. Sempre pautamos nossas ações baseados no tripé da sustentabilidade (econômico/meio ambiente/social) e formação de uma equipe capacitada para os desafios que o crescimento exige.

Hoje, temos a felicidade de dizer que o montante distribuído na participação de lucros e resultados foi mais de R$ 3 milhões para 447 colaboradores de Marechal Cândido Rondon (PR), Estação (RS) e Campinas (SP).

Isso para nós tem uma representação muito importante, além de ser o reconhecimento do esforço de toda a nossa equipe. A participação nos lucros da Sooro Renner injeta recursos na economia local, e aquece o comércio de mercadorias e serviços, ainda mais considerando o momento de incertezas em que vivemos.

Mesmo diante de uma pandemia que ainda assola o mundo, a Sooro Renner acredita no negócio e nas pessoas que integram a equipe. Então, diante disso, estão previstos mais de R$69 milhões em investimentos na ampliação da capacidade produtiva, infra-estrutura, sede administrativa, sala de treinamentos, sala de descanso e restaurante para nossos colaboradores.

Temos certeza de que com a ajuda dos nossos colaboradores, seremos capazes de atingir metas ainda maiores e mais ambiciosas. Um passo de cada vez. (As informações são da Sooro Renner)


Jogo Rápido

Suíça bate recorde na exportação de queijos em 2020
As exportações de queijos suíços alcançaram recorde em 2020, impulsionadas pelo entusiasmo com a cozinha durante os períodos de confinamento e as restrições sanitárias causadas pela pandemia da Covid-19, anunciou nesta terça-feira (2/2) a organização profissional Switzerland Cheese Marketing. A Suíça exportou 77.124 toneladas de queijo, o que significa um aumento de 1,6% no volume com relação ao ano anterior, indicou um comunicado. O valor das exportações aumentou 3,9%, até 693,8 milhões de francos suíços (mais de US$ 900 milhões). "Apesar das difíceis condições econômicas vinculadas à pandemia do coronavírus, o nível de exportação de 2019, (que foi) ano recorde, foi superado mais uma vez", comemorou a organização. "O fechamento dos restaurantes, o teletrabalho, mas também as restrições em termos de lazer obrigaram-nos a ficar mais tempo em casa", disse Christa Wettstein, porta-voz da organização. Para ela, o tempo à mesa torna-se um momento de "partilha e convívio" favorável ao consumo de queijos. (As informações são do Estado de Minas)


 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *