Pular para o conteúdo

12/11/2020

Newsletter Sindilat_RS

Porto Alegre, 12 de novembro de 2020                                                  Ano 14 - N° 3.345


Publicado no Jornal Correio do Povo, 12/11/2020 - página 22.


Com apoio do Sindilat, Fórum Tecnológico do Leite ocorre pela primeira vez em formato online

Em virtude da pandemia de Covid-19, a 14º edição do Fórum Tecnológico do Leite será pela primeira vez em formato totalmente online. A programação ocorre de 17 a 19 de novembro, das 20h às 21h30, no canal do Colégio Teutônia no Youtube. Neste ano, o evento apresentará oito cases de sucesso na atividade leiteira, com produtores trazendo relatos de experiência nas suas propriedades rurais. O Fórum, realizado pelo Colégio Teutônia e Emater/RS-Ascar, conta com o apoio da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural do Estado e entidades ligadas ao setor, como o Sindicato da Indústria de Laticínios do RS (Sindilat). Segundo o médico veterinário e assistente técnico regional em produção animal da Emater/Lajeado, Martin Schmachtenberg, o seminário é direcionado de produtor para produtor. “O Fórum busca mostrar algumas tecnologias de produtos e processos que deram certo nas propriedades da região, o que pode incentivar mais produtores a adotarem esses sistemas”, destaca.

A primeira noite do seminário terá como tema “Sistemas de produção de forragem”, com relatos sobre produção de forragem em áreas distantes da propriedade e pastagens de ciclo longo em áreas de lavoura. Participam da palestra produtores dos municípios Vespasiano Corrêa e Fazenda Vilanova. A mediação será do representante da Cooperativa Dália Alimentos Fernando Araújo. No segundo dia, o painel “Sistemas de armazenagem de milho na propriedade” contará com produtores de Paverama, Vespasiano Corrêa e Dois Lajeados, que falarão sobre silagem de milho de planta inteira, silagem de grão úmido e secagem e armazenagem de milho grão. A mediação ficará sob responsabilidade de Cristiana Baruel Terra, representante do Colégio Teutônia da Cooperativa Languiru.

Por fim, a última noite abordará o tema “Sistemas de ordenha”, com destaque para assuntos como ordenha canalizada em sistema de saída rápida, sistema de ordenha carrossel e ordenha robotizada. A palestra será comandada por produtores de Paverama e Estrela, com mediação do coordenador do Centro de Formação de Agricultores de Teutônia (Certa) e extensionista da Emater/RS-Ascar, Maicon Berwanger.

Para participar do evento basta acessar o canal do Colégio Teutônia no Youtube, sem necessidade de inscrição. Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail ctteutonia@emater.tche.br. (Assessoria Sindilat/RS, com informações do Colégio Teutônia)

 

Leite/Oceania
O otimismo continua encorajando os produtores de leite na Austrália. Muitas pastagens não estão tão secas como no ano passado. O cultivo de feno pelos produtores de leite aumentou em relação a 2019. Assim os preços caíram, beneficiando os produtores que precisam comprar.

Exportadores de lácteos australianos se esforçam para desenvolver novas parcerias no Sudeste asiático, para reduzir a dependência da China. Agora o foco são os mercados da Indonésia, Malásia, Filipinas, Singapura, Tailândia e Vietnã. Essa iniciativa é descrita como um equilíbrio das relações de exportação para gerar mais diversidade e estabilidade.

Em setembro a produção de sólidos registrada pela DCANZ na Nova Zelândia foi de 224.952 milhões de quilos, quase o dobro de agosto, e 1,8% acima dos 220.982 milhões de quilos de setembro de 2019. A produção de leite em setembro de 2020 atingiu 2.708 milhões de toneladas, quase duas vezes a produção de agosto de 2020 e 1,7% a mais que o volume de 2.664 milhões de toneladas contabilizados em setembro de 2019.

As pastagens secas na Nova Zelândia aumentaram as preocupações em relação a um potencial golpe na produção de leite. Chuvas seriam muito bem-vindas. Um outro desafio que muitos produtores de leite enfrentam é a escassez de mão de obra dos imigrantes nesta temporada.

Existe preocupações na Nova Zelândia em relação a possíveis desafios para exportação de lácteos diante de novos surtos de Covid-19. Alguns clientes desaceleraram as compras, mas há esperança de que seja apenas um período de ajuste.

Uma grande cooperativa da Nova Zelândia, assinou recentemente acordo de distribuição com uma cooperativa de laticínios dos Estados Unidos com o objetivo de transferir produtos lácteos da Nova Zelândia para clientes dos serviços de alimentação norte-americanos. (Usda – Tradução Livre: Terra Viva)


Jogo Rápido

Cenários – Economista confirma “revolução” no milho
Em apresentação virtual a criadores de suínos ontem, o economista Alexandre Mendonça de Barros, sócio da MB agro, confirmou que a transformação da China em país importador de milho causará grandes transformações no mercado global, com provável alta nos preços. (Valor Econômico)


 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *