Pular para o conteúdo

05/10/2020

Porto Alegre, 05 de outubro de 2020                                      Ano 14 - N° 3.319
______________________________________________________________________________________

Sindilat participa de almoço com o vice-presidente da República no encerramento da Expointer Digital

O formato híbrido da Expointer 2020, presencial para poucos eventos e online para a maioria, serviu para mostrar que é possível repetir parte deste modelo nos próximos anos. Encerrada neste domingo (04/10), a feira contou com a presença do vice-presidente Hamilton Mourão, que visitou algumas instalações do Parque Assis Brasil, em Esteio e, após, participou de almoço oferecido pela Febrac.

O presidente do Sindicato da Industria de Laticínios do RS (Sindilat), Alexandre Guerra, esteve presente ao encontro que contou com a presença de autoridades e representantes de entidades do agronegócio. “Foi bastante destacado o sucesso da Expointer Digital que, mesmo diante das dificuldades, menor público e expositores, obteve êxito e mostrou que é possível avançar no formato híbrido”, disse Guerra. Um exemplo positivo, segundo ele, foi o setor de máquinas, que com sua feira virtual conseguiu agregar compradores de mercados que nunca estiveram presencialmente em Esteio. “O mesmo ocorreu com os eventos online, cuja participação foi grande e mostrou que o formato possibilita o acesso de mais pessoas que não têm condições de se deslocar até à feira”, afirmou.

Mourão parabenizou todos os agentes envolvidos na promoção do evento e disse esperar por uma Expointer muito mais forte em 2021. “"Vivemos esse momento difícil de pandemia, e a feira que representa as forças produtivas do Estado, junto com os entes do governo, produziu essa edição que ficará na história”, salientou o vice-presidente. O secretário da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Covatti Filho destacou que a Expointer foi um ato de superação. “Construímos, em conjunto com as entidades copromotoras, todo esse sistema de protocolos. Além da parte presencial, criamos o ambiente virtual para transmitir todas as provas técnicas e um ambiente de comercialização, com o drive-thru da agricultura familiar”, disse. O governador Eduardo Leite prestigiou o encerramento da feira, ocasião em que também confirmou que, mesmo diante das dificuldades, a feira foi exitosa. (Assessoria de imprensa Sindilat/RS)

______________________________________________________________________________________

IN 55 traz novos parâmetros de temperatura do leite visando adequação ao novo Riispoa

O Sindilat alerta aos associados que, a partir de 1° de novembro de 2020, a Instrução Normativa 55, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), entrará em vigor estabelecendo novos parâmetros para a temperatura do leite cru e pasteurizado nos laticínios. A IN veio para adequar o texto da IN 76 em função do mais recente decreto 10.468/2020 que traz novas orientações ao Regulamento da Inspeção Industrial e Sanitária de Produtos de Origem Animal (Riispoa).

“A IN 55 apenas altera a temperatura de resfriamento e de conservação de leite cru e leite pasteurizado de 4 para 5 graus Celsius para adequar o que já diz o novo decreto, ou seja, apenas atualiza as orientações que constam na IN 76”, destaca Leticia Vieira, consultora de Qualidade do Sindilat.

De acordo com a nova IN 55, passará a ser exigida a temperatura de 5 graus Celsius nas seguintes etapas e processos: conservação e expedição do leite no posto de refrigeração; conservação do leite na unidade de beneficiamento de leite e derivados antes da pasteurização; estocagem em câmara frigorífica e expedição; conservação do leite cru na granja leiteira; e estocagem do leite pasteurizado tipo A em câmara frigorífica e expedição. (Assessoria de imprensa Sindilat/RS)

______________________________________________________________________________________

Leite/Oceania

A produção de leite em julho de 2020 na Austrália, o primeiro mês da nova temporada, aumentou 2,9% em relação a julho de 2019, de acordo com a Dairy Australia. Muitas bacias leiteiras tiveram chuvas durante a maior parte do mês de setembro. Embora necessárias, em certas regiões o volume foi acima do normal. Houve relatos de desabamento de celeiros atribuídos ao peso de fenos estocados que foram molhados.

Em agosto de 2020 os sólidos registrados na Nova Zelândia pela DCANZ, foi de 124.6 milhões de quilos, mais de cinco vezes o volume de julho, e 4,6% a mais que os sólidos de agosto de 2019, 119,1 milhões de quilos. A produção de leite em agosto de 2020 chegou a 1,47 milhões de toneladas, mais de cinco vezes a produção de julho de 2020, e 5,8% acima das 1,19 milhões de toneladas de agosto de 2019.

O clima de primavera está confortável para a produção de leite. Atualmente as projeções são de que a produção desta temporada será maior do que a do último ano. Ocorreram boas chuvas nas últimas semanas deixando muitas pastagens em condições excepcionais.

A China continua sendo um cliente bastante significativo para a Nova Zelândia. De janeiro a julho de 2020 comprou mais manteiga, leite em pó integral (WMP) e leite em pó desnatado (SMP) do que qualquer outro país. Foi o segundo maior cliente para queijos, atrás apenas do Japão. As expectativas atuais são de que a demanda da China continuará forte durante a temporada. (Usda – Tradução Livre: Terra Viva)

______________________________________________________________________________________

Jogo Rápido
A Expointer de 2021
A Expointer de 2021 tem data definida. a exposição agropecuária ocorrerá entre 28 de agosto e 5 de setembro, no Parque de Exposições Assis Brasil, em esteio. o objetivo é voltar a realizar o evento com presença do público e programação completa, mas mantendo atrações digitais no período. (Zero Hora)


 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *