Pular para o conteúdo

24/07/2020

 

Porto Alegre, 24 de julho de 2020                                              Ano 14 - N° 3.270

 Máquinas que auxiliam na produção de conhecimento

Através de uma ação de cooperação que envolve a Universidade de Passo Fundo (UPF) e as empresas SLC Máquinas, Syngenta e Diplan, foram entregues nesta quinta-feira, 23 de julho, dois tratores que vão estar disponíveis no Centro de Extensão e Pesquisa Agropecuária (Cepagro) da Instituição. A entrega foi feita pela SLC, concessionária que representa na região os tratores da marca John Deere.
Segundo o coordenador do Cepagro, professor Dr. Fernando Pilotto, a iniciativa possibilitará que os estudantes tenham a oportunidade de acompanhar o trabalho que será desenvolvido com as máquinas para o cultivo de grãos, milho, soja, trigo e preparo das lavouras. “Isso também contribuirá para que eles obtenham um melhor aprendizado, tendo acesso a uma tecnologia de ponta e conhecendo as atividades colocadas em prática pela Syngenta e Diplan. São equipamentos que chegam para melhorar a qualidade do nosso ensino, da pesquisa e da extensão, bem como dos serviços do Cepagro. Por meio dessa parceria, conseguimos conciliar o ensino com a iniciativa privada, fazendo com que todos cresçam”, comenta o docente, lembrando que os tratores serão operacionalizados por profissionais capacitados. 

 
De acordo com o representante da SLC, Régis Daniel da Silva, que atuou na negociação das máquinas, a parceria tem como objetivo difundir tecnologia para o maior número de pessoas. “Queremos levar o conhecimento que está disponível na área do agronegócio para toda a comunidade, e os acadêmicos serão multiplicadores disso”, relatou, destacando que ambos os tratores possuem 78 cavalos de potência para atuação em atividades que vão desde a pulverização ao plantio.

Além da entrega das máquinas, os representantes das três empresas parceiras da UPF fizeram uma visita à Reitoria da UPF, sendo recepcionados pelo vice-reitor Administrativo, Dr. Cristiano Cervi. (UPF)

              

Conseleite/SC
A diretoria do Conseleite Santa Catarina reunida no dia 24 de Julho de 2020 atendendo os dispositivos disciplinados no artigo 15 do seu Estatuto, inciso I, aprova e divulga os valores de referência da matéria-prima leite, realizados no mês de Junho de 2020 e a projeção dos valores de referência para o mês de Julho de 2020. Os valores divulgados compreendem os preços de referência para o leite padrão, bem como o maior e menor valor de referência, de acordo com os parâmetros de ágio e deságio em relação ao Leite Padrão, calculados segundo metodologia definida pelo Conseleite-Santa Catarina.

 
1 - Valor, em R$/litro, para o leite posto propriedade com Funrural incluso.

Períodos de apuração
Mês de Maio/2020: De 04/05/2020 a 31/05/2020
Mês de Junho/2020: De 01/06/2020 a 29/06/2020
Decêndio de Julho/2020: De 29/06/2020 a 19/07/2020

O leite padrão é aquele que contém entre 3,50 e 3,59% de gordura, entre 3,11 e 3,15% de proteína, entre 450 e 499 mil células somáticas/ml e 251 a 300 mil ufc/ml de contagem bacteriana e volume individual entregue de até 50 litros/dia. O Conseleite Santa Catarina não precifica leites com qualidades inferiores ao leite abaixo do padrão. (Conseleite/SC)

Produção/UE
A produção de leite na União Europeia (UE) está surpreendentemente forte com a produção até abril ficando 2% acima da verificada no ano anterior e a previsão para a exportação de queijo está crescendo, de acordo com a análise do Serviço Agrícola  Estrangeiro do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). 

Existe, no entanto, sinais de que a produção de leite diminuiu em maio em junho diante das condições secas. O Monitor Europeu de Secas relatou que em junho “algumas regiões da Europa enfrentaram um período intenso de seca, após chuvas fracas em abril e maio de 2020. Os países mais afetados são os da Europa Central e do Noroeste (Alemanha, Bélgica, Holanda, Irlanda e grande parte do Reino Unido).

Dados do Eurostat indicam que a captação de leite em maio de 2020 na França, Itália e Reino Unido caíram 2%, 8%, e 1%, respectivamente, em comparação com maio de 2019. Em 2019 essas três regiões foram responsáveis por um terço de todo o leite captado na UE. Na Alemanha a produção de leite em maio foi estável em relação ao ano anterior, enquanto na Irlanda e República Checa foi 3-4% maior.

Diante desse fatores, para o balanço do ano, a expectativa é de que a produção de leite na UE abrande durante o verão, mas, recupere no outono. Consequentemente a produção de leite foi revisada e aumentando de 0,7% para 1%, ou ter 156,7 milhões de toneladas a mais em relação a 2019.

A previsão para a exportação de queijo pela UE em 2020 subiu 3%, chegando a 925.000 toneladas, o que representa uma expansão de 5% em relação a 2019. Os embarques acumulados no ano estão 9% acima dos volumes verificados no mesmo período do ano passado. No entanto, a expectativa é de que os embarques desacelerem no segundo semestre do ano, mesmo porque a disponibilidade de leite para a indústria diminui devido ao declínio sazonal da produção de leite.

Tradicionalmente o maior mercado para o queijo da UE é o dos EUA e foi responsável por 16% de todo embarque da UE em 2019. Este ano, as importações de queijos europeus pelos EUA, até maio, caíram para 11%. Isso pode ter sido pelo Covid-19 que afetou os serviços de alimentação e às tarifas de retaliação de 25% impostas pelos EUA em outubro de 2019 sobre os queijos da UE, diante da decisão da Organização Mundial do Comércio (OMC) em favor dos EUA em relação aos subsídios da UE à Airbus.

Os embarques de queijos pela UE, particularmente para os mercados da Ucrânia, Coreia do Sul e Japão aumentaram significativamente.

Para apoiar o mercado lácteo durante a pandemia do Covid-19, no final de abril a UE autorizou o subsídio aos estoques privados para 100.000 toneladas de queijo pelo prazo de 60 a 180 dias. Os volumes acumulados totalizaram 48.000 toneladas. (Dairy Industries – Tradução livre Terra Viva)

                

 
Santa Clara lança Queijo Ralado em pote
Ficou mais fácil dar aquele toque com Queijo Santa Clara em suas receitas. A Cooperativa lançou o Queijo Ralado na versão pote. Em uma embalagem de 70g, prática e versátil, o produto chega ao mercado na última semana de julho. A versão pote facilita o uso no dia a dia e o armazenamento. Nesta linha, a Santa Clara conta ainda com o Queijo Ralado nas apresentações saquinho 40g e 500g, Parmesão Ralado 50g e Grana Ralado 50g. Em 2020, a Santa Clara completou 108 anos de história, o que a faz a mais antiga cooperativa de laticínios em atividade no Brasil. A sua sede está localizada no município de Carlos Barbosa e está presente, através de seus mais de 5 mil associados, em mais de 135 municípios gaúchos, atuando nos ramos de Laticínios, Frigorífico, Fábrica de Rações, Cozinha Industrial, Farmácia e 27 unidades de varejo, entre supermercados e mercados agropecuários, nos municípios onde possui associados. Atualmente possui um mix de mais de 360 produtos, entre Laticínios, Frigorífico, Doces e Sucos. (Santa Clara)
 
 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *