Pular para o conteúdo

Pró-Milho RS promove novo seminário nesta quarta-feira para discutir o fomento à produção do cereal

Tornar o Rio Grande do Sul autossuficiente na produção de milho para desonerar produtores e alavancar a renda. Esse é o principal objetivo do Programa Estadual de Produção e Qualidade do Milho (Pró-Milho/RS), que promoverá seminário online gratuito nesta quarta-feira (22/7), a partir das 10h. O intuito é apresentar o programa e entender as suas ações que visam aumentar a produção e a qualidade do grão no Estado.

Segundo o diretor da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), Ivan Bonetti, o Sindicato da Indústria de Laticínios do RS (Sindilat) é um dos principais parceiros do Pró-Milho. Para ele, é importante fomentar a produção da cultivar no Estado, pois é um insumo caro, que sofre com os valores de frete. "O milho vem do Centro-Oeste, viaja uma longa distância", afirma. No Rio Grande do Sul, porém, ainda há outros desafios para desenvolver a produção, como o clima, a assistência técnica deficiente e os problemas na secagem e armazenagem. "Um dos objetivos do programa é superar essas questões", pontua Bonetti.

O presidente da Emater-RS, Geraldo Sandri, que estará presente no evento, reforça que o programa reúne todos os elos da cadeia produtiva por meio de suas entidades, para mobilizar produtores e mostrar a eles que, a partir da contribuição de cada agente – da extensão rural, passando pelo crédito até a armazenagem – está focado na campanha para permitir que o cultivo do cereal alcance níveis satisfatórios e, ao mesmo tempo, garanta renda ao produtor. Historicamente, o Estado é deficitário na produção de milho: são cerca de 2 milhões de toneladas a menos somente no Rio Grande do Sul. Isso leva a uma dependência permanente das importações do produto do Centro-Oeste, o que encarece as atividades que dependem diretamente do cereal, especialmente as cadeias de produção de leite e de carne. “São vários os fatores que levam à decisão de plantar ou não: preços, presença de crédito, apoio técnico, seguro agrícola, local para armazenagem. Se não mostrarmos ao produtor que estamos atuando para garantir esses aspectos, ele não vai se encorajar a produzir’, destaca Sandri.

O seminário contará com a participação do secretário da Agricultura do RS, Covatti Filho, do diretor da Emater/RS, Alencar Rugeri, do presidente da Fecoagro-RS, Paulo Pires e do professor da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) Alencar Zanon. Também estarão presentes Apromilho, Sips e Acergs.

Faça a sua inscrição aqui: https://cutt.ly/CpMwxmj
Acesse pelo You Tube: https://cutt.ly/8pMqKVn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *