Pular para o conteúdo

17/03/2020

Porto Alegre, 17 de março de 2020                                              Ano 14 - N° 3.183

 Conseleite/PR

A diretoria do Conseleite-Paraná reunida no dia 17 de Março de 2020 na sede da FAEP na cidade de Curitiba, atendendo os dispositivos disciplinados no Capítulo II do Título II do seu Regulamento, aprova e divulga os valores de referência para a matéria-prima leite realizados em Fevereiro de 2020 e a projeção dos valores de referência para o mês de Março de 2020, calculados por metodologia definida pelo Conseleite-Paraná, a partir dos preços médios e do mix de comercialização dos derivados lácteos praticados pelas empresas participantes.

 

Os valores de referência indicados nesta resolução para a matéria-prima leite denominada “Leite Padrão”, se refere ao leite analisado que contém 3,50% de gordura, 3,10% de proteína, 500 mil células somáticas/ml e 300 mil ufc/ml de contagem bacteriana. Para o leite pasteurizado o valor projetado para o mês de Março de 2020 é de R$ 2,4250/litro. Visando apoiar políticas de pagamento da matéria-prima leite conforme a qualidade, o Conseleite-Paraná disponibiliza um simulador para o cálculo de valores de referência para o leite analisado em função de seus teores de gordura, proteína, contagem de células somáticas e contagem bacteriana. O simulador está disponível no seguinte endereço eletrônico: www.conseleitepr.com.br. (Conseleite/PR)

 
 
Global Dairy Trade - GDT
 
 
 

gDT – O Índice GDT do leilão de hoje, 17 de março de 2020 – Evento 256 terminou no menor nível desde janeiro de 2019. 

A queda mais acentuada ocorreu nos contratos de leite em pó desnatado (SMP) que vinham se recuperando do baixo desempenho que perdurou por mais de dois anos. As negociações de hoje registraram queda de -8,1% na média. Com isso, o produto acumula queda de 16,49% desde o início do ano, embora esteja com valor superior aos verificados em março de 2019 (+5,07%) e março de 2018 (+33,92%).

 

A manteiga anidra (AMF) acumula a maior desvalorização dos últimos dois anos, -30,69% em relação a março de 2018. Com o resultado de hoje, o produto já tem perda de 12,13% em relação ao início do ano.

A queda de 4,2% nos preços do leite em pó integral (WMP) fez com que a commodity tenha a terceira maior perda de cotação do evento em relação ao início do ano, acumulando desvalorização de 11,21%. Com esse resultado, o WMP também perde para as cotações de março de 2018 (-13,3%) e março de 2019 (-15,68%), e foi negociada pelo menor valor desde janeiro de 2019. (globaldairytrade/Terra Viva)

 
VBP é estimado em R$ 683,2 bilhões para 2020
O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) de 2020 é estimado em R$ 683,2 bilhões, montante 8,2% acima do registrado em 2019, com base nas projeções de fevereiro. 
Para as lavouras, o valor estimado é de R$ 448,4 bilhões e, para a pecuária, R$ 234,8 bilhões. Em comparação ao do ano passado, o crescimento é de 8,9% e 8,2% respectivamente. 
“A maior parte das lavouras analisadas apresenta crescimento do valor da produção. Entre estas, as de maior crescimento são a do amendoim (11,8%), cacau (6,6%), café (25,9%), da laranja (9,7%), da mandioca (7,8%), do milho (15,2%) e da soja (15,5%). Os resultados de milho e soja devem-se aos preços maiores neste ano, e também às safras mais elevadas. O café teve forte recuperação - a safra do arábica é 22,3% maior, e os preços são 10,4% superiores aos do ano passado”, diz a nota da Secretaria de Política Agrícola, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). 
Já os produtos com previsão de redução do VBP são: banana, batata-inglesa, trigo, feijão, tomate e uva. 
Na pecuária, carnes (bovina, suína e de frango) têm projeção de bons resultados este ano. O faturamento de ovos deve apresentar alta de 4,7 % em relação a 2019. A retração está prevista no setor de leite: 2,5%.
Por regiões, o Centro-Oeste lidera com projeção de 31,8% do VBP total. Em seguida, aparece o Sul (26,8%), Sudeste (25,2%), Nordeste (9,6%) e Norte (6,6%). (Mapa)
             
Nestlé lança programa para testar alimentos com deficientes visuais
A Nestlé, em parceria com a Fundação Dorina e a agência WMcCann, está selecionando deficientes visuais para testar produtos da companhia e estimular a inclusão de cegos no mercado de trabalho. Com o Programa Desvendar, a Nestlé inicialmente testará chocolates e cafés e quer fazer dessas pessoas especialistas nesse segmento. A proposta se baseou em estudos como da Schepens Eye Research Institute, que mostram que o cérebro de pessoas cegas reorganiza suas conexões neurais, de modo a aprimorar as percepções de tato, olfato, paladar e audição. (Newtrade)
 
 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *