Pular para o conteúdo

12/03/2020

Porto Alegre, 12 de março de 2020                                              Ano 14 - N° 3.180

"Não é retirada da vacina, é substituição de ações"
O diretor do Departamento de Saúde Animal do Ministério da Agricultura, Geraldo Moraes disse hoje, em reunião com representantes das cadeias produtivas do Rio Grande do Sul, que não se trata de retirada da vacina contra a febre aftosa e, sim, de substituição de ações. "Precisamos trocar a vacina por notificações de suspeitas, defesa agropecuária, vigilância e prevenção", declarou. Moraes também afirmou estar otimista em relação à intenção de o estado investir no setor. 
O secretário substituto, Luiz Fernando Rodriguez Júnior e a equipe técnica da Secretaria da Agricultura apresentaram a Moraes o andamento das ações do Plano de Ação para obter a autorização para suspender a vacina. O presidente do Fundesa, Rogério Kerber, pontuou a importância de todos os setores da iniciativa privada estarem presentes e contribuindo para o avanço de status.  "Existe o entendimento de que é preciso fortalecer a arrecadação do Fundesa, e também o envolvimento e o comprometimento dos setores produtivos em contribuir neste avanço", pontuou. 
Forças de segurança: Na parte da tarde, foi apresentado às forças de segurança, Polícia Civil, Brigada Militar, Agência Brasileira de Inteligência, Polícia Rodoviária Federal, Exército e Corregedoria Geral de Justiça, o plano da Secretaria da Agricultura para o Programa de Vigilância de Fronteiras - Sentinela.  
Segundo Francisco Alves, chefe da Divisão de Controle de Informações Sanitárias da SeapDR, o plano prevê ações nas áreas de fronteira com o Uruguai e Argentina.  São 59 municípios e 4,5 milhões de cabeças de gado envolvidas. O trabalho de Análise de Redes de Movimentação Animal, produzido pela Universidade da Carolina do Norte através de convênio com o Fundesa foi utilizado para a definição dos principais pontos que deverão receber a atenção das autoridades.  
Vacina antecipada: A abertura da etapa de vacinação contra a febre aftosa acontece no dia 16 de março, se encerrando em 14 de abril. A solenidade oficial de abertura desta que pode ser a última etapa de vacinação do Rio Grande do Sul ocorrerá no dia 17, em Guaíba, com a presença do governador Eduardo Leite. (Assessoria de imprensa Fundesa)
 
Cresce a procura por sistema que permite fazer reuniões a distância 
Com ações negociadas na Nasdaq, a Zoom tem valorização de quase 58% neste ano
Na medida em que os casos da Covid-19 crescem pelo mundo e companhias suspendem viagens de seus funcionários, também aumenta a procura por sistemas de videoconferência. Nas últimas semanas, empresas como Google, Microsoft, Cisco, BlueJeans, Zoom Video Communications e LogMeIn anunciaram que seus produtos estarão disponíveis de graça, ou com mais recursos que os oferecidos anteriormente. 
A ideia é ajudar empresas e organizações a manterem a produtividade em um cenário de mobilidade restrita. O esforço “humanitário” também tende, obviamente, a render dividendos em termos de negócios. Uma vez contido o surto, quem experimentou essa facilidade pode vir a contratar ou ampliar os gastos com esse tipo de tecnologia. 
De acordo com o Google, o interesse pelo assunto videoconferência atingiu, na semana passada, o nível mais alto dos últimos 90 dias, com um aumento nas buscas de 34% em todo o mundo. Já a expressão “work from home” (“trabalhar de casa”) registrou, nos últimos sete dias, o maior número de buscas dos últimos três meses. Os EUA lideram as buscas, com Cingapura e Índia também aparecendo na lista dos cinco países com mais interesse no tema. 
Desce que anunciou, há cerca de dez dias, que quatro produtos de sua linha GoToMeeting estarão disponíveis gratuitamente por um prazo de 90 dias, a americana LogMeIn viu o uso crescer mais de 20%. Em áreas mais atingidas, como a Ásia e a Itália, o acesso dobrou em relação ao uso normal. A BlueJeans viu o tráfego quadruplicar na China e triplicar na Ásia como um todo entre o começo de janeiro e meados de fevereiro. 
Com ações negociadas na Nasdaq, a Zoom tem sido um destaque positivo em meio às turbulências do mercado como um todo. Seus papéis apresentam uma valorização de quase 58% no acumulado do ano, frente a uma queda de 16% no S&P 500.
Segundo Peter Kodic, diretor comercial para a América Latina da LogMeIn, no Brasil ainda não há uma demanda adicional por conta do coronavírus. A procura continua sendo impulsionada pela adoção do trabalho remoto. “Quando profissionais mais jovens, que estão mais acostumados e são afeitos à tecnologia, vão chegando a posições de gestão, o uso avança”, disse. O executivo disse acreditar, entretanto, que o fator coronavírus tende a entrar na conta nas próximas semanas com o aumento do número de casos registrados no país. 
Segundo uma pesquisa da Fortune Business Insights divulgada no fim do ano passado, o mercado global de videoconferência vai mais que dobrar até 2026, passando de US$ 3,02 bilhões em 2018 para US$ 6,37 bilhões. O crescimento tem sido puxado pelas melhorias na qualidade das conexões à internet, que permitem chamadas mais estáveis e de melhor resolução e também pela maior facilidade no uso dos serviços - que já não exigem equipamentos ou espaços dedicados para serem acessados. 
De acordo com Kodic, chamadas de vídeo de serviços gratuitos como WhatsApp e FaceTime, da Apple não representam uma concorrência. “Quando você fala em fechar negócios, você precisa de serviços mais seguros e estáveis”, disse. (Valor Econômico)

Aprovada proposta que reconhece Expoleite Fenasul como de relevante interesse
Foi aprovado na Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul o Projeto de Lei 488/2019, de autoria do deputado Rodrigo Lorenzoni, que reconhece como de relevante interesse cultural do Estado a Expoleite Fenasul. A votação de plenário foi de 47 votos favoráveis e nenhum contrário em relação ao evento criado e mantido pela Associação dos Criadores de Gado Holandês do Rio Grande do Sul (Gadolando), entrando em vigor imediatamente após à aprovação. 

A notícia foi comemorada pelos criadores da raça Holandesa. "Nós, do gado holandês, sempre entendemos o valor da nossa Expoleite que é tão antiga quanto a Expointer. Para nós sempre foi uma feira importantíssima e muito voltada pra nós criadores. Esta feira de outono sempre esteve no nosso calendário no mês de maio, sempre esteve na mente do criador gaúcho", destaca o presidente da Gadolando, Marcos Tang.  
Com o advento do Projeto de Lei, para Tang, será mais um atrativo para entidades e empresas do setor participarem da feira, construindo e consolidando cada vez mais o evento junto ao setor e à sociedade. "É uma homenagem histórica que se faz a quem sempre trabalhou por essa feira. Ela sempre foi gerida e parida pela Gadolando juntamente com os seus parceiros. Essa ajuda e esse reconhecimento político administrativo certamente vem para facilitar e para que conseguimos consolidar cada mais a Expoleite Fenasul", observa. 
A Expoleite entrou oficialmente para o calendário de eventos do Governo do Estado em abril de 1977, quando foi declarada exposição oficial pelo Decreto nº 25.405/1977. Nos anos 2000, a Fenasul foi criada para abrigar todas as raças e eventos participantes. O evento deste ano já tem data marcada: de 13 a 17 de maio no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS).  (Agrolink)
 
             
Produtor pode notificar emergências veterinárias pela internet
Produtores rurais e médicos veterinários podem fazer notificações de emergências com animais pela internet, por meio do Sistema Brasileiro de Emergência Veterinária (e-Sisbravet), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Como parte do serviço veterinário oficial, a Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) fica responsável por ir a campo investigar as notificações referentes ao Rio Grande do Sul. “O sistema vem para trazer mais agilidade ao procedimento de notificação de suspeitas de doenças em animais de produção, evitando, assim, que uma doença se propague”, destaca o secretário Covatti Filho. Qualquer cidadão pode fazer uma notificação, que é imediatamente disparada, eletronicamente, para todas as unidades veterinárias responsáveis pela propriedade com os animais sob suspeita. A partir daí, o serviço veterinário local irá a campo, o mais rápido possível, para iniciar a investigação. O link para o e-Sisbravet está disponível no site da Secretaria da Agricultura. Além deste canal, a Seapdr conta com WhatsApp próprio para estas notificações: (51) 98445-2033. (Seapdr)
 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *