Pular para o conteúdo

02/12/2019

Porto Alegre, 02 de dezembro de 2019                                              Ano 13 - N° 3.120

  Sindilat comemora 50 anos de dedicação ao setor lácteo gaúcho

Trabalhando pelo desenvolvimento do setor lácteo gaúcho, o Sindicato da Indústria de Laticínios do RS (Sindilat) completa 50 anos de história em 2019. O evento já tem data marcada e será nesta quinta-feira (05/12), a partir das 19h, no Plaza São Rafael, em Porto Alegre (RS). A noite contará com homenagens a todos os ex-presidentes e associados que atuam e atuaram no fortalecimento do sindicato neste meio século de vida.

De acordo com o presidente do Sindilat, Alexandre Guerra, a festa dos 50 anos busca exaltar a trajetória dos associados e ex-presidentes . “Será uma noite para celebrarmos a história e a credibilidade que o Sindilat conquistou ao longo dos anos”, diz, ressaltando que nada é mais gratificante do que dar o devido reconhecimento a quem realizou um trabalho sério e ético pelo desenvolvimento das indústrias lácteas no RS.

Na ocasião, ocorrerá a cerimônia de entrega de troféus para os finalistas do 5º Prêmio de Jornalismo do Sindilat, iniciativa que valoriza o trabalho da imprensa que acompanha o setor lácteo no RS através de quatro categorias: impresso, online, eletrônico e fotografia. Confira os finalistas:

IMPRESSO
Cristiano Vieira / Revista Press Agrobusiness – Reportagem: “Com saúde e sabor: os caminhos do leite”
Fernanda Mallmann / Informativo do Vale – Reportagem: “A colônia é High Tech”
Juliana Bevilaqua dos Santos / Pioneiro- Reportagem: “Um milhão de quilos de queijo”

ELETRÔNICO
Bruno Pinheiro Faustino / TV Cultura – Reportagem: “Leite: uma vocação gaúcha”
Ellen Bonow Bösel / Emater/RS  – Reportagem:  “Agroindústria Estrelat produz leite tipo A”
Gabriel Garcia / RBS TV- Reportagem: “Tecnologia no campo melhora o bem estar animal”

ONLINE
Joana Colussi / Zero Hora– Reportagem: “Bolsas estimulam educação em cooperativa agroindustrial”
Joana Colussi / Zero Hora - Reportagem: “Os motivos que fazem os jovens ficarem ou deixarem o campo no RS”
Juliana Bevilaqua dos Santos / Site Pioneiro - Reportagem: “Um milhão de quilos de queijo”

FOTO
Antônio Valiente Samalea / Jornal Pioneiro
Lidiane Mallmann / O Informativo do Vale
Marcelo Casagrande / Jornal Pioneiro
(Assessoria de Imprensa Sindilat)

FrieslandCampina 

O preço do leite cru garantido pela FrieslandCampina para o mês de dezembro de 2019 foi de € 36,41/100 kg, [R$ 1,73/litro]. O preço garantido da FrieslandCampina para o leite cru convencional subiu 0,91 em relação ao mês anterior. A expectativa das principais indústrias de referência é de que o preço do leite suba.
 


O preço garantido do leite orgânico para dezembro de 2019 foi estabelecido em € 45,74/100 kg [R$ 2,18/litro], caindo 1,26 euros em relação ao leite orgânico garantido do mês anterior (47,00). O novo preço garantido incluiu uma correção de 2,01 para menor, devido a preços superestimados do leite pelas empresas de referência, em meses anteriores.  

  
O preço garantido é aplicado a 100 quilos de leite que contenha 3,47% de proteína, 4,41% de matéria gorda e 4,51% de lactose, sem o imposto de valor agregado (IVA). O preço é garantido a produtores de leite convencional e que entregam acima de 800.000 quilos de leite por ano.

O preço garantido para o leite orgânico segue os mesmos parâmetros do leite convencional em relação ao teor de sólidos, mas, a base do volume de entrega é acima de 600.000 quilos anuais.

O preço garantido da FrieslandCampina faz parte do preço do leite que a FrieslandCampina paga, anualmente, aos seus produtores de leite. Mensalmente, o preço garantido é estimado com base no desenvolvimento dos preços do leite publicados pelas principais indústrias de referência.

Até 2016 o volume era de 600.000 quilos para o leite convencional. A alteração do volume que serve de base para bonificações e o esquema da sazonalidade foi, então, descontinuado, iniciando novos parâmetros em 2017. (FrieslandCampina – Tradução livre: Terra Viva)

Câmara Temática do Mercosul 

A Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) realiza na próxima terça-feira (3) a reunião inaugural da Câmara Temática do Mercosul e Comércio Exterior. O evento ocorrerá na Sala Diplomata do Hotel Embaixador, no centro de Porto Alegre, a partir das 14h.

A apresentação da Câmara Temática ficará a cargo do diretor do Departamento de Políticas Agrícolas e de Desenvolvimento Rural da Seapdr, Ivan Bonetti. O secretário da Agricultura, Covatti Filho, vai falar sobre as relações de comércio exterior da agropecuária gaúcha. E o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) vai ser representado pelo embaixador Orlando Leite Ribeiro, secretário de Comércio e Relações Internacionais.  Ele vai abordar a política de comércio exterior do agronegócio brasileiro.
 
“A Câmara Temática do Mercosul vai ser um importante fórum de discussão, identificando gargalos nas importações e exportações e debatendo de forma permanente as transações comerciais de produtos agropecuários entre os países do Mercosul e também de outros mercados”, afirma o secretário Covatti Filho.
 
A Câmara Temática Mercosul e Comércio Exterior foi criada pelo Decreto nº 54.770, de agosto de 2019, e tem entre seus objetivos subsidiar políticas públicas em âmbito estadual e federal, estimular a prospecção de novos mercados, avaliar situações problemáticas, buscar soluções e antecipar-se para evitar crises e reduzir assimetrias existentes na produção, comercialização e industrialização de produtos agropecuários.

O Rio Grande do Sul é o quarto estado brasileiro nas exportações do agro com R$ 46,4 bilhões. Entre os produtos mais exportados estão as carnes, couros, animais vivos (exceto pescados), o complexo soja e os produtos florestais. 
 
Serviço
O que: Reunião Inaugural da Câmara Temática Mercosul e Comércio Exterior
Quando: 3 de dezembro
Horário: 14h
Onde: Sala Diplomata do Hotel Embaixador, na Rua Jerônimo Coelho, 354, Centro de Porto Alegre
Contato: (51) 3288-6364
(Fonte: Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr))
 
Produção/Chile 
A principal bacia leiteira do Chile, Los Lagos, ao contrário do país como um todo, terminou outubro com queda de 1,2% em sua produção de leite. A captação nacional de leite cru mostrou em outubro, quebra da tendência e acabou aumentando 1,9% em relação ao mesmo mês do ano passado, 232,3 milhões de litros. Isso interrompeu seis meses consecutivos de baixa na comparação interanual, segundo dados do Escritório de Estudos e Políticas Agrárias (Odepa). No acumulado entre janeiro e outubro de 2019, a captação chilena de leite cru continua no terreno negativo, -2%, chegando a 1.670,2 milhões de litros. Na Região de Los Lagos, a principal região produtora de leite do país, a captação de leite cru, em outubro, terminou com queda de 1,2%. No acumulado do ano, de janeiro a outubro, Los Lagos totalizou 752,3 milhões de litros, o que representou queda de 5,6% no volume, em relação ao mesmo período de 2018. A Região de Los Rios, a segunda maior região produtora de leite, a captação de leite em outubro totalizou 73,5 milhões de litro, registrando aumento de 5,5% em relação ao exercício anterior. No entanto, entre janeiro e outubro de 2019, a recepção de leite cru em Los Rios teve queda de 0,7%. (Mundo Agropecuário – Tradução livre: Terra Viva)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *