Pular para o conteúdo

11/11/2019

 

Porto Alegre, 11 de novembro de 2019                                              Ano 13 - N° 3.106

 O que é uma propriedade da agricultura familiar

O IBGE utiliza como base a Lei 11.326/2006, que estabeleceu a Política Nacional da Agricultura Familiar e Empreendimentos Familiares Rurais, e o decreto 9.064/2017, que instituiu o Cadastro Nacional da Agricultura Familiar. Neste sentido, são levados em consideração quatro aspectos:

A área da propriedade deve ter até quatro módulos fiscais. No Rio Grande do Sul, cada módulo pode equivaler de cinco a 40 hectares, dependendo do município. Os valores exatos para cada localidade são determinados pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).

- No mínimo, metade da força de trabalho utilizada na produção e na geração de renda deve ser familiar.

Pelo menos metade da renda familiar deve ser proveniente de atividades desenvolvidas na propriedade rural.

A gestão do estabelecimento precisa ser estritamente familiar. (Zero Hora)

Preços/UE

O preço médio do leite pago ao produtor da União Europeia (UE) em setembro passado foi de € 0,3439/kg, o que representa 2,3% mais do que agosto, mas é menor do que o pago um ano atrás, € 0,3483/kg, segundo o Observatório Lácteo da UE.
 
Conforme está no gráfico seguinte, o preço de setembro é menor do que o valor de setembro de 2017, mas, é maior do que o preço de 2016, que foi realmente muito baixo.  
 
 
Na análise por países observa-se que os preços aumentaram nos Estados Membros em comparação com agosto de 2019, salvo na Dinamarca que diminuiu, e na Holanda que ficou estável. A perspectiva é de que em outubro de 2019 o preço médio na UE caia para € 0,3439/kg.

No caso da Espanha, o preço em setembro foi de € 0,3165/kg, ou seja, 3 centavos mais que em agosto. Para outubro o preço deverá ser igual ao de setembro.
 
O preço do leite nos Estados Unidos vem subindo desde o início do ano e agora está em € 0,417/kg, que é o mesmo valor alcançado no final de 2014. Na Nova Zelândia o preço do leite subiu em setembro, € 0,294/kg, mas é 14% menor do que em julho de 2017. (Agrodigital – Tradução livre: Terra Viva)


Austrália 

O relatório sobre as Perspectivas do Setor Lácteo da Austrália para o primeiro trimestre da temporada, encerrado em outubro, mostra que os altos preços do leite nas fazendas continuam a ser afetados pelos elevados custos de insumos e um clima seco persistente. Outro inverno quente e seco afetou o custo e a disponibilidade de alimentos, enquanto o preço da água para irrigação continuou aumentando para os agricultores da região de Murray. A expectativa é de que a alimentação animal continuará restrita, e de que o resto do ano seja de seca, para algumas regiões. A produção de leite da Austrália caiu 6,9% até agosto, como resultado de pressões ao custo, baixa pluviosidade e redução do tamanho dos rebanhos. 

A Dairy Australia mantém a previsão de queda entre 3 e 5% da produção nacional de leite nesta temporada, em comparação com a anterior. “Os produtores de leite australianos entraram em uma temporada de preços recordes, mas a produção de leite continuou a se contrair devido os elevados custos de produção e a seca em muitas áreas”, disse o analista do setor lácteo, John Droppert. “A percepção dos agricultores em todo país são divergentes. No Sul da Austrália, as boas chuvas no início da temporada proporcionaram boas pastagens e estoque suficiente de forrageiras, e há otimismo. No Norte, a seca que persiste pela segunda temporada consecutiva provoca desânimo”. O elevado preço do leite ao produtor é sustentado pelas voláteis cotações internacionais das commodities lácteas, e intensa concorrência entre as indústrias, principalmente as exportadoras, diante da baixa oferta de matéria-prima. 

O diretor da Dairy Australia, David Nation, disse que as perspectivas de clima seco para o restante da temporada são preocupantes: “As condições climáticas continuarão pressionando os custos. Mesmo que o clima seja favorável em algumas áreas, estamos pedindo aos agricultores que monitorem cuidadosamente e façam o planejamento da alimentação contando com os recursos locais disponíveis”. (The Dairy Site – Tradução livre: Terra Viva)
 
 
Agronegócio 
O volume de produtos do agronegócio exportado pelo Brasil de janeiro a setembro deste ano cresceu 6% frente ao mesmo período de 2018, atingindo quantidade recorde, segundo dados do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP. Esse aumento esteve atrelado ao crescimento das vendas de carnes, milho, algodão, etanol e café. (Fonte: Notícias Agrícolas)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *