Pular para o conteúdo

06/09/2019

Porto Alegre, 06 de setembro de 2019                                              Ano 13 - N° 3.061

  Sem muitas alterações de cenário, importações brasileiras seguem estáveis

A Secretaria de Comércio Exterior (SECEX) divulgou os dados da balança comercial láctea nesta quinta-feira (05). Segundo a SECEX, a quantidade importada de leite (em litros equivalentes) no mês agosto aumentou 1%, praticamente estabilidade em relação a julho, com 76,4 milhões de litros em equivalente leite importados. Na comparação de agosto de 2019 com o mesmo mês do ano passado, a quantidade importada ficou 28% maior.

Os 8,9 milhões de litros em equivalente leite exportados pelo Brasil em agosto deste ano representaram um aumento de 4% em relação aos 8,5 milhões de litros em equivalente leite de julho. Já na comparação com ago/18, houve uma redução de 23%. Confira a evolução no saldo da balança comercial láctea, que foi de -68 milhões de litros em agosto, gráfico 1.

Gráfico 1. Saldo da balança comercial de lácteos no Brasil em equivalente leite (milhões de litros); elaborado pela equipe MilkPoint Mercado com dados do COMEXSTAT.
 

Com a produção interna de leites em pó abastecendo o mercado brasileiro, a oferta restrita de leite do Mercosul e a contínua valorização do dólar frente ao real, foi possível notar uma redução nas importações do leite em pó integral, que recuou 22% em relação ao mês anterior. Além disso também foi possível notar uma menor importação de queijos (-18%), que representaram 19,2% das importações totais.

Os países que mais exportaram lácteos para o Brasil em agosto foram, Argentina, Uruguai, Alemanha, Holanda e Nova Zelândia, representando cerca de 90% das vendas totais ao mercado brasileiro. No entanto, apesar de nossos vizinhos sul americanos ainda ocuparem posição destaque, suas participações continuaram caindo como no mês anterior, a Argentina retraiu 18% e o Uruguai 7%. Na tabela 2, é possível observar as movimentações do comércio internacional de lácteos para o mês de agosto deste ano.

Tabela 2. Balança comercial láctea em agosto de 2019; elaborado pela equipe MilkPoint Mercado com dados do COMEXSTAT.
 

(Mikpoint Mercado)

Produtores de leite do Uruguai esperavam maior aumento no preço do leite

O conselho de administração da Conaprole ajustou em 5% o preço do leite captado em agosto. Com teores de 3,80% de gordura e 3,45% de proteína, o litro ficou em 11,01 pesos (US$ 0,2984) e, com os ajustes de qualidade, pode chega a a 11,19 pesos (US$ 0,3033) por litro. Os produtores estão chateados e consideram que o ajuste "é muito pequeno" e "nem sequer contempla o aumento do preço do dólar", disse Justino Zavala, diretor da Associação de Produtores de Leite de Canelones.

Zavala disse que, dentro desse aumento de 5%, a cooperativa incluiu parte dos 40 centavos (US$ 0,0108) por litro que corresponde à ferramenta financeira projetada pelo governo para aliviar o endividamento, ou seja, o crédito do Banco República y República Microfinanzas disponível para produtores que enviam menos de 480.000 litros por ano. “O Ministério da Indústria estabeleceu que esse dinheiro ia diretamente ao preço e corresponde aos produtores. Existem 20 centavos (US$ 0,0054) por litro incluídos no aumento que vêm da ferramenta financeira ”, explicou ele.

"Cada dia que passa, baixa mais o preço do leite. Você entra na primavera, onde tem que pagar todas as contas que foram transferidas desde o outono, com um dólar que aumentou desde abril", disse Zavala preocupado. Por sua vez, os sindicalistas pressionam os sindicatos que procurarão reverter a decisão do conselho da Conaprole e aumentar ainda mais o preço.

Em 05/09/19 - 1 Peso Uruguaio = US$ 0,02711
36,8878 Peso Uruguaio = US$ 1 (Fonte: Oanda.com)
(As informações são do El País Digital, traduzidas pela Equipe MilkPoint) 

Ideas for Milk
A UFPel receberá mais uma edição do Ideas for Milk, em sua Caravana 4.0, no dia 11 de novembro, às 9h, no Auditório do Pelotas Parque Tecnológico. A Caravana está percorrendo Universidades, eventos de inovação e comunidades startup em todo o Brasil para conversar sobre a cadeia produtiva do leite, a revolução digital no agronegócio e o mercado agtech e de inovação para o leite, compartilhando casos de sucesso de quem se destacou no Desafio de Startups com o objetivo de inspirar novos empreendedores. Conforme a Coordenação de Inovação Tecnológica da Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação, o tema é de interesse das áreas de Agrárias, como Agronomia, Zootecnia e Veterinária, e Exatas, como Engenharias e Computação, de Humanas, da Administração, da Economia e do Design. Conforme a organização do evento, o mercado de startups para o agronegócio do leite está crescendo e é um setor importante para a economia do país.  Saiba mais em http://www.ideasformilk.com.br/caravana. O evento é gratuito e conta com palestras curtas, dinâmica de inovação, bate-papo e “milk break”. (Universidade Federal de Pelotas)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *