Pular para o conteúdo

31/07/2019

Porto Alegre, 31 de julho de 2019                                              Ano 13 - N° 3.034

  Exposição vai receber 3.975 animais neste ano

A 42ª Expointer, marcada para o período de 24 de agosto a 1° de setembro no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio, contará com 3.975 animais de argola, que participam de julgamentos e concorrem a premiações. O número, divulgado ontem pela Secretaria de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), é 6,36% menor que o do ano passado. A queda é puxada pela redução de 76% nas inscrições de pássaros ornamentais. Até o dia 10 de agosto as associações de criadores poderão inscrever os animais rústicos, que não participam de concursos. 

Em categorias de destaque na exposição, como a dos ovinos e a dos bovinos leiteiros, entretanto, houve crescimento expressivo. Neste ano, serão 393 bovinos leiteiros, 17,6% mais do que os 334 exemplares de 2018. Nos ovinos as inscrições cresceram 10,3%, chegando a 782 animais, contra 709 do ano passado. “Surpreendeu positivamente o número de inscrições nas raças de maior interesse financeiro, especialmente no gado de leite, indicando perspectivas de melhoria nos negócios desta cadeia”, avalia o subsecretário do parque, José Arthur Martins. 

Confirmando as expectativas, houve uma pequena redução nas inscrições dos bovinos de corte, que neste ano serão 543, pouco menos que os 548 de 2018. Segundo presidente da Comissão de Exposições e Feiras da Farsul, Francisco Schardong, o custo de manutenção dos animais na feira influência na decisão do produtor. Também foi registrada queda no número de equinos inscritos, de 918 no ano passado para 860 neste ano. O coordenador da Seção de Exposições e Feiras da Seapdr, Paulo André Santos Coelho de Souza, afirma que a retração se deve à não realização de algumas provas dentro da Expointer e à coincidência de datas de algumas competições com o período da feira. “Mas isso é natural e já aconteceu em outras edições, sem influenciar nos resultados finais”, ressalta. A 42ª Expointer vai ser lançada na próxima segunda-feira, dia 10, às 14h, na Casa da Ospa, em Porto Alegre. (Correio do Povo)

                  

Kantar: frequência de compras cai ainda mais em 2019

A instabilidade política e econômica que ainda se apresenta nos primeiros meses de 2019 continua impactando a performance das categorias de consumo massivo (FMCG) dentro do lar e ainda não apresenta sinais de recuperação. No último trimestre terminado em maio de 2019, houve uma redução de 9% na frequência de compra - valores indexados nos últimos três meses terminados em agosto de 2016 - aponta o levantamento Consumer Thermometer da Kantar, multinacional de painéis de consumo. O número representa a maior queda comparando a série histórica.

Neste período, entre as categorias que mais perderam participação no carrinho dos brasileiros, estão o chá pronto (-24%), cera para assoalho (-22,2%), bebida de soja (-14,3%), além de leite pasteurizado (-13%) e suco em pó (-11%). 

 

 
Em contrapartida, alguns produtos ganharam espaço e foram comprados mais vezes pelas famílias. Caso do petit suisse, que registrou aumento de 11% de frequência, seguido por produtos de barba (10%), limpador sanitário (9%) e molho para salada (8,3%).
 


 
"Apesar de cenário de retração, algumas tendências se consolidam no mercado nacional. São elas: a preferência pelas categorias práticas e de indulgência que continuam conquistando novos lares no Brasil e o crescimento do atacarejo como canal de compra", analisa Giovanna Fischer, Diretora de Marketing e Insights da Kantar.

A categoria de mercearia doce, por exemplo, ganhou 2% em volume de unidades no ano acumulado. Neste período, sorvete, leite fermentado e azeite registraram aumento na presença nos carrinhos dos brasileiros. Analisando apenas os primeiros cinco meses de 2019, ganharam espaço também suco pronto e maionese.

Em relação aos canais de compra, o atacarejo continua avançando em participação de mercado e ganhou mais 2,5 pontos de penetração entre março e maio deste ano. Os supermercados de conveniência também se destacaram com melhora de 2,1 pontos de penetração no mesmo período.

No ano acumulado (últimos 12 meses terminados em maio), o recuo no volume de unidades foi sentido por todas as classes sociais e em todas as regiões do País. As classes AB registraram queda de 3,9% e apenas as classes DE tiveram leve crescimento com 0,7% de alta. Já. A região Sul é a que mais sofreu redução com perda de 4,4% em volume de unidades compradas. (As informações são da Kantar)

Premiação Embrapa 

O Ideas for Milk, ação desenvolvida pela Embrapa Gado de Leite, que reúne um desafio de startups, um hackaton (batizado pela instituição de “Vacathon”) e uma caravana de palestras para despertar o interesse de jovens em todo o Brasil sobre empreendedorismo digital na cadeia do leite, está entre os cinco projetos premiados na categoria “Destaque Nacional” do concurso Learning & Performance Brasil 2019/2020. 

O Prêmio busca promover o compartilhamento das melhores práticas em desenvolvimento de talentos e gestão de performance, selecionando projetos de transformação digital de negócios. Junto com a Embrapa, serão laureados projetos do Bradesco (Plataforma MEI); do Banco Digital NEXT; do município de Barueri-SP (Barueri Cidade Inteligente) e do Centro de Mídias de Educação do Amazonas. A solenidade de Premiação será presidida por Vicente Falconi, da Falconi – Consultores de Resultado e ocorrerá no dia 19 de agosto de 2019, às 19h, no Renaissance São Paulo Hotel, na capital paulista. O Prêmio Learning & Performance Brasil foi criado em 2012 e é uma evolução do Prêmio e-Learning Brasil, promovendo o compartilhamento das melhores práticas em desenvolvimento de talentos e gestão de performance. Já foram reconhecidos mais de 150 projetos desde que a premiação foi instituída.

O propósito do Institute for Learning & Performance é promover, no Brasil, o desenvolvimento dos projetos de transformação digital de negócios por meio da apropriação das tecnologias por parte das pessoas, melhorando continuamente sua produtividade a partir do desenvolvimento e da efetiva aplicação de suas competências. Busca-se, assim, potencializar a performance, os resultados e a competitividade das organizações, de forma sustentável e com respeito a diversidade humana. Segundo o chefe-geral da Embrapa Gado de Leite, receber esse prêmio significa que “estamos no caminho certo”.

O Ideas for Milk foi agraciado na modalidade Governamental, com foco em Business Digital Transformation. As práticas do projeto da Embrapa destacadas pelo Institute for Learning & Performance foram:

- Promoção da mudança do mindset da Embrapa, que é a principal empresa de geração de Soluções Tecnológicas do Agro, no mundo Tropical;
- Criação de um único Ecossistema do Agronegócio Brasileiro;
- Crescente atuação em rede, que vai possibilitar que o Brasil continue competitivo na produtividade de alimentos no Mundo 4.0.

Este ano, a Embrapa Gado de Leite lançará a quarta edição do Ideas for Milk. “Queremos continuar fomentando o surgimento do ecossistema, reunindo empresas, universidades, pesquisa agropecuária e o setor produtivo, capaz não apenas de apresentar soluções, mas de empreender, transformando as soluções em novas startups para a cadeia produtiva do leite”, diz Martins. A iniciativa rendeu frutos. Outras unidades da Embrapa já possuem ações semelhantes para outras cadeias produtivas, como a Embrapa Suínos e Aves (Inova Pork), Embrapa Meio Norte (Ideas for Farm) e Embrapa Café (Avança Café). Fora da empresa, o Ideas for Milk serviu de modelo para o Desafio Agro Startup, do Senar Goiás. (Embrapa) 

 
Mercado do Nordeste brasileiro é o destino da maior parte do leite em pó da CCGL de Cruz Alta/RS
A maior parte do leite em pó produzido pela CCGL, em Cruz Alta (RS), é comercializado para Estados do Nordeste brasileiro. Segundo o diretor/superintendente da cooperativa, Guillermo Enrique Dawson, a venda para o Nordeste representa 87% da produção. Quando a fábrica foi implantada, esse percentual era de 5 a 10%. No momento, a CCGL também exporta para a Venezuela e Argélia. Agora, a expectativa se refere ao início da venda de produtos lácteos da CCGL para a China. Isso porque, a cooperativa integra a lista de 24 indústrias brasileiras, habilitadas pelo governo chinês, que poderá exportar lácteos. No caso da CCGL, haverá venda de leite em pó e creme de leite. Durante entrevista na Revista da Propriedade Industrial (RPI), Guillermo Enrique Dawson, aproveitou para ressaltar que está em construção, na CCGL, em Cruz Alta, uma indústria para produção de leite condensado. O investimento, de aproximadamente 30 milhões de reais, deve estar concluído em março do próximo ano e a produção deve ficar em cerca de 90 toneladas de leite condensado por dia. (As informações são da Rádio Progresso de Ijuí)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *