Pular para o conteúdo

30/07/2019

Porto Alegre, 30 de julho de 2019                                              Ano 13 - N° 3.033

  Produção/UR 

A produção de leite não para de cair. Entre janeiro e junho a captação de leite pela indústria contraiu 8% em relação a um ano atrás, com 824,7 milhões de litros de acordo com dados publicados pelo Instituto Nacional do Leite (Inale). A captação de junho foi 6% inferior à de igual mês de 2018 reduzindo a queda de maio que foi de 10%. A produção de leite enviada para as indústrias, em junho, totalizou 154,7 milhões de litros, contra 164,9 milhões um ano antes.
 
Em doze meses (julho de 2018 a junho de 2019) totalizou 1.991 milhões de litros, apenas 1% abaixo em relação ao período imediatamente anterior (julho de 2017 a junho de 2018) que foi de 2.011 milhões de litros. (Blasina y Asociados – Tradução livre: www.terraviva.com.br)

                  

Produção de leite cai 0,1% na UE em maio

O Observatório Europeu do Mercado Leiteiro, em seu relatório mais recente, afirma que a produção de leite em maio de 2019 caiu 0,1% em comparação com o mesmo mês do ano passado, com 14.000 toneladas a menos sendo produzidas.

Em relação à produção acumulada dos primeiros cinco meses observa-se aumento entre 2018 e 2019 de 0,3%. Na seção positiva, destaca-se aumentos na Irlanda, Reino Unido e Espanha. Enquanto no negativo, destacam-se a queda na França, na Alemanha e, principalmente, a redução na Holanda.

Quanto ao mês de maio em si, da queda total de 0,1% na produção, destacam-se Irlanda, que foi na contramão e apresentou um aumento de 10,8%, o que se traduz em mais 110.000 toneladas captadas, enquanto, no Reino Unido, o aumento foi de 1,6%, representando 23.000 toneladas a mais do que em maio de 2018.

Quanto às quedas, a Holanda se destaca com uma queda de 2,5%, o que significa 31 mil toneladas a menos; a redução de 1,6% na França, com 36.000 toneladas a menos coletadas pela indústria; e a queda de 1,5% na Alemanha, com 44.000 toneladas a menos coletadas. (As informações são do Agronews Castilla y León, traduzidas pela Equipe MilkPoint)

 
 

Preços/AR 

Nos últimos remates de vacas e novilhas em Córdoba e Santa Fé foi comprovado que o mercado compreende e aceita que o preço das vacas estão intimamente conectados ao preço do leite. Claro está que levando em conta que o preço do leite chegou a seu teto – inclusive existem mensagens baixistas para os próximos meses – a pergunta que se faz no mercado da animais de leite é se também chegou ao teto o preço das vacas e novilhas?

“A vaca de ponta continua sendo vendida entre 4.500 e 5.000 litros de leite, e a vaca comercial entre 3.800 e 4.000 litros de leite, mas, estou seguro de que o preço nos demais leilões seguirão o preço do leite. Agora, o que também ajuda a manter o bom preço, são os bons valores das vacas de descarte, que continuam firmes e cada vez mais procurada. Portanto, essas duas variáveis são as que estão explicando, principalmente o movimento dos preços”, disse Miguel Romano, leiloeiro da Cooperativa Guillermo Lehmann.

Existem outros aspectos como maior perda de vacas por problemas sanitários ou a boa oferta de pastos (pelas últimas chuvas que caíram nas zonas produtoras) que também ajudam em menor medida a manutenção dos preços.

Por exemplo, os preços do leilão organizado no dia 19 de julho pela Cooperativa Guillermo Lehmann em Pilar, Santa Fe, foram os seguintes:

Vacas adiantadas ou paridas: Máximo AR$ 100.000, [mais de R$ 8.000,00]; média AR$ 65.800, [R$ 5.700,00]

Vacas prenhas de 1 a 4 meses: Máximo AR$ 44.000, [R$ 3.800,00]; média AR$ 37.200, [R$ 3.200,00].

Vacas a inseminar: Máximo AR$ 33.000, [R$ 2.800,00]; média AR$ 29.070, [R$ 2.500,00].

Vacas intermediárias e novilhas: Máximo AR$ 23.000, [R$ 2.000,00]; média AR$ 18.100, [R$ 1.500,00]. (Portalechero – Tradução livre: Terra Viva)
 
Brasil vai exportar lácteos para a China
A China vai começar a importar produtos lácteos do Brasil. Com isso, as vendas externas do setor devem crescer quase 10% já nos próximos meses. CLIQUE AQUI para assistir a reportagem veiculada no programa Band News. (Band)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *