Pular para o conteúdo

21/08/2018

Porto Alegre, 21 de agosto de 2018                                              Ano 12 - N° 2.804

Conseleite indica retração no preço do leite

 

  
Foto: Carolina Jardine 

Depois de meses de alta, o preço de referência do leite no Rio Grande do Sul registrou queda em agosto. Segundo dados divulgados pelo Conseleite nesta terça-feira (21/8), o valor projetado com base nos primeiros dez dias do mês de agosto é de R$ 1,2210 por litro, 5,71% abaixo do consolidado de julho que fechou em R$ 1,2949. O professor da UPF Eduardo Finamore explica que a redução foi puxada pelo preço do leite UHT, que caiu 10% no mês. No entanto, alerta ele, no acumulado de janeiro a agosto de 2018, o UHT está 5,69% acima do preço praticado no mesmo período de 2017. No mês, também tiveram redução o queijo mussarella (-5,59%) e o leite pasteurizado (-3,13%). 

O encontro mensal, presidido por Pedrinho Signori, reuniu representantes dos laticínios e produtores na sede da Fetag, em Porto Alegre (RS). "O momento para o produtor é de cautela com investimentos. Cada um deve avaliar seu sistema de produção, considerando que o preço ao produtor está bom no momento, mas, sem esquecer de atentar aos custos de produção", pontuou Signori.

Segundo presidente do Sindilat e vice-presidente do Conseleite, Alexandre Guerra, o que preocupa é que a produção no campo não está crescendo como em anos anteriores e, mesmo assim, o preço no mercado demonstrou queda. "A produção no campo está menor do que na mesma época do ano passado", constatou, lembrando que os meses de agosto e setembro são pico de produção no Rio Grande do Sul, patamar 30% acima da captação de abril (pico da entressafra). O que explica o cenário, aponta o executivo, é a política de promoções praticada no varejo, que gerencia seus estoques de forma a garantir compras de leite sempre mais vantajosas, espremendo as margens da indústria.  Como a produção não está se expandindo como a média histórica, estima ele, a tendência é que a estabilidade de preços chegue mais rápido. (Assessoria de Imprensa Sindilat)

 

Vitrine do Leite apresentará processo de ordenha na Expointer

Os visitantes da Expointer neste ano que forem à Vitrine do Leite poderão conhecer de perto todo o processo de ordenha das vacas. Essa será uma das grandes inovações desse ano no estande, localizado dentro do Pavilhão do Gado Leiteiro, no Parque de Exposições Assis Brasil. O processo de ordenha ocorrerá na segunda-feira (27) e na terça-feira (28), às 10h, e entre quarta e sexta-feira em dois horários, às 10h e às 14h. 

O público terá um benefício extra. Será montada uma arquibancada, com espaço para 50 pessoas, garantindo maior conforto aos visitantes, que também poderão, durante o evento, tirar dúvidas e outros esclarecimentos.  "Nós acreditamos que irá trazer ao grande público uma oportunidade de efetivamente acompanhar o processo de ordenha que ocorre nas propriedades rurais", adiantou o secretário-executivo do Sindilat, Darlan Palharini. 

A apresentação será feita por um técnico da Emater. Assim, os visitantes poderão acompanhar uma passo a passo da ordenha, desde a preparação das vacas até o que acontece depois da retirada do leite.  Os cuidados com o animal, as questões sanitárias e o manuseio do leite cru também serão abordados. 

Além disso, nos demais horários será exibido um breve filme mostrando todo o  processo de transformação do leite, desde a ordenha na propriedade rural, o manuseio na indústria, até o produto final que chega aos consumidores.    A indústria láctea também terá destaque, mostrando as ações que elevam o padrão de qualidade dos produtos, como a segurança alimentar, exigidos de um produto lácteo.   A atividade é uma realização do Fundesa, com o apoio do Sindilat, da Secretaria Estadual de Agricultura, do Ministério da Agricultura, Gado Holandês,  Fetag, Farsul, Emater e Eurolatte. (Assessoria de Imprensa Sindilat) 

Leiteria terá workshop de harmonização de lácteos e bebidas 

Além de proporcionar um ambiente aconchegante para degustação de produtos lácteos com sabores diferenciados, a Leiteria Sindilat, que será realizada de 25 de agosto a 2 setembro, na Expointer, também será um espaço de conhecimento gastronômico. A programação conta com diversas atividades diárias abertas ao público, que poderá aprender desde como montar uma tábua de queijos, até como fazer harmonização dos produtos lácteos com cervejas ou vinhos. 

"A Leiteria não é só gastronomia, mas também tem programação técnica. Irão ser desenvolvidas atividades, durante os nove dias de feira, para que as pessoas possam efetivamente, além de fazer a degustação, aprender algumas receitas e harmonizações com os produtos lácteos", afirma o secretário executivo do Sindilat, Darlan Palharini.

A abertura da Leiteria, junto ao Pub do Queijo, será às 10h do sábado (25/08), com vídeo sobre boas práticas na ordenha. Na segunda-feira (27/08), às 10h, será realizada a a coletiva de imprensa do Sindilat, em que haverá o lançamento oficial do 4º Prêmio Sindilat de Jornalismo.  

Leiteria Sindilat
Diferentes opções gastronômicas à base de produtos lácteos estarão disponíveis aos visitantes da Expointer 2018 bem no coração da Boulevard. Poderão ser degustados pratos de massa, fondue, tábuas de queijo, ou lanches mais rápidos em um verdadeiro pâtisserie. O primeiro da modalidade organizado na feira oferecerá o tradicional leite com café, mixs diferenciados de cappuccinos, cafés especiais, salgados e doces à base de leite e derivados. A Leiteria Sindilat vem complementar o PUB do Queijo, que foi o maior sucesso em 2017. A operação ficará a cargo do Mule Bule e tem a assinatura da Storia Eventos. 

Confira a programação completa:

25/08 - SÁBADO

10h- Apresentação vídeo de boas práticas na ordenha

16h- Patrona da 21ª feira do livro de esteio, em 2018
Contação de história e autógrafo com léia cassol - autora do livro a menina do cabelo roxo 

18h - Como montar uma tábua de frios para receber convidados - chef Mule Bule

26/08 - DOMINGO

10h- Degustação de diferentes tipos de queijos e outros produtos da indústria láctea gaúcha.

18h- Como montar uma tábua de frios para receber convidados - chef Mule Bule

27/08 - SEGUNDA-FEIRA

10h- Coletiva de imprensa e lançamento do 4º prêmio sindilat de jornalismo e vídeo da cadeia produtiva leiteira

18h- Harmonização queijos e cervejas

28/08 - TERÇA-FEIRA

10h- Apresentação vídeo da ordenha até o consumidor

18h- Harmonização queijos e vinhos

29/08 - QUARTA-FEIRA

18h- Harmonização queijos e cervejas

30/08 - QUINTA-FEIRA

10h- Apresentação vídeo da ordenha até o consumidor

18h- Degustação de diferentes tipos de queijos gaúchos harmonizados com geleias artesanais 

31/08 - SEXTA-FEIRA

10h- Degustação e apresentação de azeites gaúchos.

18h- Harmonização queijos e vinhos

01/09 - SÁBADO

18h- Como montar uma tábua de frios para receber convidados - chef mule bule

02/09 - DOMINGO

10h- Degustação de diferentes tipos de queijos e outros produtos da indústria láctea gaúcha. (Assessoria de Imprensa Sindilat)

 
GDT
 
Fonte: GDT
 

Preço do leite longa vida cai quase 5% na primeira quinzena de agosto
O preço do leite UHT caiu pela segunda quinzena seguida no atacado. De acordo com levantamento da Scot Consultoria, o produto ficou cotado, em média, em R$ 2,97 por litro em São Paulo na primeira metade de agosto. Houve queda de 4,7% em relação a segunda quinzena de julho, que já tinha registrado uma queda de 0,7%, frente ao início de julho. A consultoria explica que apesar da desvalorização, o produto está custando 27,8% mais na comparação com o mesmo período do ano anterior. No varejo em São Paulo, o leite longa vida ficou cotado, em média, em R$ 3,77 por litro na primeira quinzena deste mês, uma desvalorização de 2,2% em relação a segunda metade de julho. Este foi o primeiro período de queda nos preços desde fevereiro. Para o restante de agosto, a expectativa das indústrias pesquisadas é de manutenção ou queda nos preços do produto nas indústrias. Embora o período seja de entressafra na região central do Brasil e no Sudeste, com menor disponibilidade de matéria-prima, o cenário é de regularização na cotação do produto depois das fortes altas em junho e primeira quinzena de julho, devido à greve dos caminhoneiros e prejuízos a cadeia do leite. (Canal Rural)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *