Pular para o conteúdo

17/07/2018

 

Porto Alegre, 17 de julho de 2018                                              Ano 12 - N° 2.779

    Pecuária leiteira lidera investimentos do Fundesa

Conselheiros do Fundesa aprovaram na tarde desta segunda-feira (16) a prestação de contas do primeiro semestre de 2018. Ao todo, o fundo recolheu este ano – entre contribuições e rendimentos financeiros – R$ 6,56 milhões. No mesmo período, as saídas entre investimentos e indenizações, alcançaram o montante de R$ 3,45 milhões. O saldo atual do Fundesa é de R$ 79,895 milhões.

A pecuária leiteira foi o setor que mais usou os recursos do fundo. Foram R$ 2,394 milhões, dos quais R$ 2,152 milhões em indenizações tanto para a reposição de animais quanto pelo chamado “risco alimentar”, quando os produtores precisam realizar o vazio sanitário e ficam por um tempo sem poder ter animais na propriedade.  “Vemos este investimento no saneamento como um fator positivo para a pecuária leiteira gaúcha. Eliminar a tuberculose e a brucelose do rebanho é um desafio para o setor”, afirma o presidente do Fundesa, Rogério Kerber.

O Fundesa apresenta contas a cada três meses aos conselheiros. Após a aprovação do balanço, os dados são enviados para as Secretarias da Agricultura e da Fazenda, para o Cade e também para a Assembleia Legislativa. As informações também ficam disponíveis ao público em geral no site do fundo.  “A transparência é um dos pilares na gestão do Fundesa. Seguimos um rigoroso processo para a liberação e aplicação de recursos”, informa Kerber. (Assessoria de Imprensa Fundesa)

 
Crédito: Thaís D’Ávila
 
 

GDT

O resultado do leilão gDT desta terça-feira (17/07) apresentou queda de -1,7% sobre o leilão anterior, com preços médios de lácteos em US$3.222/tonelada

Conseleite/MS

A diretoria do Conseleite - Mato Grosso do Sul reunida no dia 16 de julho de 2018, atendendo os dispositivos do seu Estatuto, aprova e divulga os valores de referência para a matéria-prima, referente ao leite entregue no mês de junho de 2018 e a projeção dos valores de referência para leite a ser entregue no mês de julho de 2018.  Os valores divulgados compreendem os preços de referência para o leite padrão levando em conta o volume médio mensal de leite entregue pelo produtor.  (Famasul)
 

 

Mapa Leite
Depois de identificar as principais deficiências dos produtores rurais participantes do programa Mapa Leite, propriedades rurais da Região das Missões estão sendo visitados por um instrutor do Senar-RS, que, de forma pontual, abordará possíveis melhorias na área de nutrição para bovinos de leite. A cada dia, uma propriedade será visitada e os produtores das áreas vizinhas podem acompanhar as atividades e usar as informações para fazer as adequações em suas propriedades. A próxima rodada acontece de 16 a 20 de julho, começando pelo município de Chapada. O Mapa Leite, fruto de uma parceria entre o Ministério da Agricultura e o Senar, visa fornecer Assistência Técnica e Gerencial, além da capacitação para produção, transporte e beneficiamento de leite seguro e de qualidade. Cada propriedade cadastrada recebe metodologia específica, através de profissionais com formação em ciências agrárias de nível técnico e superior em Agronomia, Medicina Veterinária ou Zootecnia, capacitados e habilitados pela instituição. No Rio Grande do Sul, 1057 propriedades estão sendo atendidas pelo programa. (Página Rural)
 
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *