Pular para o conteúdo

02/07/2018

 

Porto Alegre, 02 de julho de 2018                                              Ano 12 - N° 2.768

Brasil busca mercados em países da África para produtos lácteos

Pela primeira vez, uma missão comercial de prospecção brasileira está nas cidades de Johannesburgo (África do Sul), Gaborone (Botsuana) e Windohoek (Namíbia) com objetivo de promover produtos do agronegócio com foco, principalmente, em lácteos (leite em pó, queijos, iogurtes, requeijão) para ampliar as exportações.

Delegação, formada por representantes do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) e de cooperativas agropecuárias do Mercosul, participa de reuniões com órgãos do governo e de rodada de negócios com associações e empresas importadoras. A missão se encerra neste domingo (1º de julho).

De acordo com o secretário de Mobilidade Social, Produtor Rural e Coooperativismo do Mapa, José Doria, a missão visa ampliar exportações, aproveitando acordo de comércio entre os dois blocos, e traçar estratégias para ação conjunta na região. Acordo Mercosul - Sacu (União Aduaneira formada pela África do Sul, Namíbia, Botsuana, Lesoto e Suazilândia) assegura preferências tarifárias a produtos brasileiros, possibilitando acesso a um mercado de cerca de 65 milhões de consumidores.

A delegação brasileira participou na última segunda-feira (25) da Feira Africa's Big 7/ Saitex, em Joanesburgo. Com participação de 36 países, a feira comercial de alimentos e bebidas, reuniu fornecedores e compradores de vários segmentos de atividades de todo o continente africano. Os principais produtos agrícolas exportados pelo Brasil para a região são soja, milho, sorgo, arroz, carnes de aves, fumo não faturado, açúcar, entre outros. (MAPA)

 
Pesquisa voltada para a sociedade há 25 anos

O desenvolvimento da agricultura na região Sul do país tem forte relação com a atuação da Embrapa Clima Temperado, de Pelotas, que é uma das unidades descentralizadas da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e completou 25 anos ontem. Para marcar o aniversário, nesta sexta-feira (6), haverá lançamento do livro técnico "Morangueiro", sobre o cultivo de morango, assinatura de convênios e homenagens. Em 25 anos, a Embrapa Clima Temperado construiu um legado em forma de pesquisas que geraram conhecimento e soluções tecnológicas para grandes e, principalmente, pequenos agricultores do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. "Metade do PIB gaúcho tem origem na agricultura, e isso se deve à contribuição da pesquisa agropecuária, não só da Embrapa, mas do esforço conjunto com diversos parceiros", destaca o chefe-geral da unidade, Clenio Pillon.

 A Embrapa Clima Temperado foca seus trabalhos em diversas cadeias produtivas, como é o caso do arroz, leite, batata e frutas de clima temperado, e atua com temas considerados estratégicos, como a produção orgânica e agroecológica de alimentos, mudanças de clima, sistemas integrados de produção, desenvolvimento de novos insumos, agregação de valor aos alimentos e energias renováveis. Pillon diz que entre os direcionamentos da entidade estão as tendências apontadas pela sociedade, como a busca por melhor qualidade de vida por meio da produção de alimentos de qualidade, agregação de valor aos produtos e articulação para elaboração de políticas públicas.

No dia 6, a Embrapa assina, na sua sede, convênio de cooperação com a Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Embora já exista parceria entre as instituições, será formalizado o fortalecimento da atuação dos profissionais da Embrapa dentro do Programa de Pós-Graduação da Universidade, pelo prazo de cinco anos. Outra parceria técnica será firmada com o Instituto Brasileiro de Olivicultura (Ibraoliva), para desenvolver tecnologias para a sustentabilidade e competitividade da cadeia produtiva das oliveiras. A Embrapa também fará entrega de placas comemorativas a parceiros e, no dia 9, receberá homenagem conjunta das Câmaras Municipais de Pelotas e Capão do Leão. (Correio do Povo)

 Parceria entre Banrisul e Piá vai  oferecer juro zero ao produtor rural

A Piá formali

no images were found

zou uma importante parceria com o Banco do Estado do Rio Grande do Sul S.A. - Banrisul, na última quinta-feira, dia 28 de junho, em Pinhal Alto, Nova Petrópolis. Durante o encontro, que reuniu mais de 100 pessoas, entre elas o presidente e a diretoria da Cooperativa, diretores da instituição financeira, produtores e representantes locais, foi apresentado o projeto Banriagro Piá.  

Na ocasião, o Banrisul confirmou, ainda, a liberação de R$ 40 milhões para a Piá realizar investimentos no fomento da produção. O convênio vai oferecer aos associados de leites e de frutas da Cooperativa, neste primeiro momento, empréstimos com taxas de juros mais baixas que as do mercado para a compra de insumos que também terão preços mais competitivos. No caso de produtores com Declaração de Aptidão ao Pronaf - DAP ativa e válida, não serão aplicados juros em parcelamentos de até oito meses. "Uma das facilidades é que a parcela poderá ser descontada da conta do leite ou de frutas que o produtor recebe mensalmente. Tudo isso através do Banrisul e com apoio da Piá", destaca o presidente da empresa, Jeferson Smaniotto.

De acordo com Smaniotto, através do formato do Banriagro Piá, o agricultor conseguirá se planejar melhor, reduzir custos de produção e, ainda, pagar os insumos com a própria produção. "A partir desta importante iniciativa, a Cooperativa vai fortalecer seus associados, além de tornar a atuação no mercado agropecuário da região muito mais forte nos próximos períodos", finalizou com positivismo o presidente. 

Para participar do programa, o produtor deve ser associado e entregar sua produção a Piá, estar com cadastro atualizado no Banco e em dia com as operações na Cooperativa e na instituição financeira. (Assessoria de Imprensa Piá)

O leite em realidade virtual
Cooperativa Santa Clara, de Carlos Barbosa, leva uma experiência diferente aos supermercados neste mês. Os consumidores que visitarem os pontos de venda programados poderão conhecer o Caminho do Leite em 360°. A atividade passará por quatro lojas de Bento Gonçalves: Apolo L'América, Grepar, Caitá e Apolo Shopping Bento. E estará no Festiqueijo, de sua cidade-sede. O Caminho do Leite demonstra todo o processo desde o cuidado com os animais ainda na propriedade associada, coleta da matéria-prima e transporte à indústria, análises de qualidade e envase. Os óculos de realidade virtual permitem que a pessoa vivencie a experiência como se estivesse fisicamente nos locais observando todo o processo. (Jornal do Comércio)
 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *