Pular para o conteúdo

Teste para o leite

logo sindilat sem derivados jpegPromete deslanchar até o final deste mês a parceria entre Sindicato da Indústria de Laticínios e Derivados do Estado (Sindilat-RS) e Embrapa de Pelotas para o projeto de instalação de equipamentos nos caminhões de leite, para medir vazão e fazer a coleta automatizada de amostras do alimento que vão para a análise. São quatro modelos diferentes a serem testados em caminhões que fazem recolhimento de leite para a Cosulati. Estes fornecem ao produtor recibo que mostra a quantidade entregue. O primeiro equipamento deve ser colocado no final do mês, e outros três em fevereiro. 

A ideia é testar durante um período de seis meses a um ano. Se os resultados forem satisfatórios, a entidade buscará regulamentação de uso e isenção fiscal para importados e benefícios para os nacionais. O custo é de até R$ 60 mil. Outras empresas do setor de lácteos já usam esses equipamentos. É o caso da CCGL, Santa Clara e BRF. Uma das vantagens é evitar contato direto do transportador com o leite. O novo presidente do Sindilat-RS, Alexandre Guerra, também diretor administrativo e financeiro da cooperativa Santa Clara, afirma que houve uma oxigenação positiva do setor. – Toda empresa ampliou ainda mais a qualidade que já tinha – diz, sobre os cuidados extras adotados pelas indústrias após as várias fases das operações Leite Compen$ado. (Zero Hora)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *