Pular para o conteúdo

19/06/2018

Porto Alegre, 19 de junho de 2018                                              Ano 12 - N° 2.759

   Mão de obra é tema do 6º Fórum Itinerante do Leite

O 6º Fórum Itinerante do Leite, que será realizado nos dias 25 e 26 de junho, em Santa Rosa (RS), no Instituto Federal Farroupilha, reunirá representantes da cadeia leiteira para debater os desafios da mão de obra no setor. Na noite da próxima segunda-feira, lideranças da região vão apresentar as políticas municipais para a produção de leite. A abertura oficial do evento, promovido pelo Sindicato da Indústria de Laticínios do RS (Sindilat), ocorrerá no dia 26 de junho, às 8h30min, quando estão previstos painéis e oficinas para discutir as dificuldades das equipes que atuam nos tambos. 
 
De acordo com o secretário executivo do Sindilat, Darlan Palharini, o Fórum Itinerante do Leite é uma oportunidade de compartilhar informações para construir o futuro da cadeira leiteira gaúcha. "Diante do atual cenário, é essencial discutir os pontos que nos preocupam no setor. A escassez da mão de obra para a atividade é uma das dificuldades enfrentadas pelos produtores", pontou. A manhã do dia 26 de junho será marcada por painéis técnicos. Na tarde, serão realizadas quatro oficinas: A atividade leiteira sob o olhar das mulheres; Produção orgânica de leite e laticínios; O clima e o bem-estar das vacas leiteiras; e Técnica sobre tuberculose e brucelose. O 6º Fórum Itinerante do Leite conta com o apoio do Ministério da Agricultura (Mapa), prefeituras e diversas outras entidades do setor primário do Estado. (Jornal do Comércio)
 
Preços no Leilão GDT  
 
Realizado no dia 19/06/2018, o 214º leilão GDT (Global Dairy Trade) marcou um recuo de 1,2% em seu índice de preços, chegando ao valor médio de US$3.481/tonelada. (GDT)
 

Conseleite/PR

A diretoria do Conseleite-Paraná reunida no dia 19 de Junho de 2018 na sede da FAEP na cidade de Curitiba, atendendo os dispositivos disciplinados no Capítulo II do Título II do seu Regulamento, aprova e divulga os valores de referência para a matériaprima leite realizados em Maio de 2018 e a projeção dos valores de referência para o mês de Junho 2018, calculados por metodologia definida pelo Conseleite-Paraná, a partir dos preços médios e do mix de comercialização dos derivados lácteos praticados pelas empresas participantes.

Os valores de referência indicados nesta resolução para a matéria-prima leite denominada “Leite Padrão”, se refere ao leite analisado que contém 3,50% de gordura, 3,10% de proteína, 500 mil células somáticas/ml e 300 mil ufc/ml de contagem bacteriana. Para o leite pasteurizado o valor projetado para o mês de Junho de 2018 é de R$ 2,4423/litro. Visando apoiar políticas de pagamento da matéria-prima leite conforme a qualidade, o Conseleite-Paraná disponibiliza um simulador para o cálculo de valores de referência para o leite analisado em função de seus teores de gordura, proteína, contagem de células somáticas e contagem bacteriana. O simulador está disponível no seguinte endereço eletrônico: www.conseleitepr.com.br. (Conseleite/PR)

Produção/AR

“Se os custos locais não estiverem sob controle, será muito difícil para a Argentina ser rentável, inclusive com um tipo de câmbio em torno de AR$25/US$”, estima o Rabobank. O informe, traduzido e publicado pelo Observatório da Cadeia Láctea Argentina (OCLA) destacou que a seca no começo do ano teve um impacto significativo no desenvolvimento das plantações de grãos, e , como o clima mudou rapidamente para chuva forte, a qualidade da colheita de soja e milho se deteriorou ainda mais. O resultado é que os custos para os agricultores aumentaram significativamente, afetamento a rentabilidade. O Rabobank projeta queda na produção de leite em torno de 1% no 3º e no 4º trimestre de 2018, depois de um forte crescimento no 1º semestre de 2018. Com o peso argentino depreciando-se ainda mais, a pressão sobre os preços do grão nacional seria significativo para o resto do ano, já que os preços em dólares se manterão em níveis elevados.

“A inflação continua sendo obstinadamente alta apesar das contínuas elevações dos juros, e o governo encontra dificuldades para manter os preços moderados. Isto pressiona o poder aquisitivo do consumidor”, mostra o Rabobank, e como resultado, que a demanda cresça somente 1% no 2º semestre de 2018.

Em termos de intercâmbio, assinalam que é provável que o país aumente as exportações nos próximos meses, - já que está criando estoques de leite em pó – e uma economia mais desvalorizada tornará ainda mais interessante a exportação. (CampoLitoral – Tradução livre: www.terraviva.com.br)  

Vacina chega a 94% do rebanho
A primeira etapa de vacinação contra a febre aftosa no Rio Grande do Sul, encerrada na sexta-feira, dia 15, imunizou pelo menos 94% das 13,4 milhões de cabeças do rebanho bovino do Estado. Segundo a veterinária do Programa de Combate à Febre Aftosa da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Irrigação (Seapi), Lucila Carboneiro dos Santos, a contagem ainda é parcial, pois os registros de vacinação podem ser digitados pelos criadores até o dia 29 deste mês. O resultado final deve ser divulgado no início de julho. Desde ontem, a Seapi trabalha para identificar quais os produtores que não aplicaram a vacina dentro do prazo. O inadimplente está sujeito a uma multa geral inicial de 60 UPFs (R$ 1.128) e mais uma UPF (R$ 18,80) por animal não imunizado. (Correio do Povo)
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *