Pular para o conteúdo

22/05/2018

 
 

Porto Alegre, 22 de maio de 2018                                              Ano 12 - N° 2.740

 

Laticínios não garantem captação e vão à Justiça por trânsito de caminhões
Com o agravamento da retenção de cargas nas estradas gaúchas na tarde desta terça-feira (22/5), o Sindicato da Indústrias de Laticínios do RS (Sindilat) informa que parte de seus associados poderá interromper a captação de leite de produtores em diferentes regiões do Rio Grande do Sul. A impossibilidade de coleta decorre de bloqueios ocasionados por manifestação de caminhoneiros que pedem redução do preço do diesel. Todos os dias, são captados 12,6 milhões de litros de cru de 65 mil propriedades rurais do Rio Grande do Sul.

Apesar de compreender a legitimidade da manifestação e se solidarizar com o movimento dos caminhoneiros, o Sindilat ingressará na tarde de hoje com ação judicial para garantir o livre trânsito dos caminhões que transportam leite cru. O pedido está embasado no artigo 5, inciso XV, da Constituição Federal que prevê o direito à livre locomoção e circulação no território nacional. Também pontua o artigo 170 do texto constitucional, que garante o livre exercício da atividade econômica. (Assessoria de Imprensa Sindilat)
 

 
UHT se valoriza 22,8% de janeiro a abril

Leite UHT - Por conta da menor oferta no campo, os preços do leite longa vida (UHT) e do queijo muçarela registraram a terceira alta consecutiva em abril. No acumulado do ano, estes derivados se valorizaram 22,8% e 9%, respectivamente, na negociação entre indústria e atacado do estado de São Paulo (valores reais, deflacionados pelos IPCA de abril/18).

De acordo com as pesquisas diárias realizadas pela equipe do Cepea com o apoio financeiro da OCB (Organização das Cooperativas Brasileiras), o UHT foi negociado a R$ 2,40/litro no atacado paulista em abril, avanço de 4% frente ao mês anterior. Para o queijo muçarela, o preço médio foi de R$ 15,71/kg, elevação de 4,6% na comparação com março. Nas pesquisas realizadas quinzenalmente, além do UHT e da muçarela, a manteiga e o leite pasteurizado também se valorizaram entre março e abril. Os aumentos foram de 1,8% e 0,5%, respectivamente, com médias de R$ 24,07/kg e R$ 2,12/litro, em valores reais. O movimento de valorização, contudo, perdeu força a partir da segunda quinzena de abril devido à maior necessidade de adotar promoções para escoar estoques e assegurar liquidez. Segundo agentes consultados pelo Cepea, a demanda por lácteos está mais firme do que a observada no mesmo período do ano passado. No entanto, a capacidade do consumidor em absorver altas ainda está fragilizada. O momento é bastante delicado para a indústria, que tem dificuldades em realizar o repasse da valorização da matéria- -prima para o consumidor final e, assim, garantir margem. Para o próximo mês, agentes esperam que possa haver queda de preços por conta da baixa demanda, principalmente no caso do leite UHT. (Cepea)

 

 
 
Campanha Got Jobs? "A produção de leite cria emprego, exportar cria mais ainda"
Campanha/EUA - A campanha lançada na segunda-feira ao nível nacional destaca os aspectos econômicos: "A produção de leite cria emprego, exportar cria mais ainda". Esta nova campanha publicitária e também disponível no portal mostra que a indústria de laticínios dos Estados Unidos cria perto de 3 milhões de empregos, gera um impacto econômico de US$ 628 bilhões, e contribui com 1% do Produto Interno Bruto (PIB). Em uma coletiva de imprensa, o Conselho de Exportação de Lácteos dos Estados Unidos (USDEC), a Associação Internacional de Alimentos Lácteos (IDFA), e a Federação Nacional dos Produtores de Leite (NMPF) enfatizaram os dados revelados na Campanha "Got Jobs?".

O esforço conjunto apresenta um logotipo que lembra o icônico anúncio "Got Milk?", mas com a mensagem diferente: "Leite cria empregos, e as exportações criam mais ainda". O portal GotDairyJobs.org mostra fatos concretos e rostos reais de pessoas que trabalham granças ao leite. Os recursos ajudam a indústria de laticínios, a mídia e outros a conta a história do impacto econômico dos lácteos que tem abrangência nacional, e existe em praticamente todos os estados. A fonte de grande parte dos dados vem do Dairy Delivers, o programa do IDFA que mostra o impacto econômico da cadeia láctea. (USDEC - Tradução Livre: Terra Viva)

 
 

EUA - A produção de leite subiu 0,6% em abril
Produção/EUA - A produção de leite nos Estados Unidos no mês de abril totalizou 18,4 bilhões de pounds, [8,08 bilhões de litros], aumento de 0,6% em relação a abril de 2017. A produtividade animal atingiu a média de 1.961 pounds, [861/litros/vaca], em abril, 9 pounds, [4 litros], acima da média de abril de 2017. O número de vacas de leite nas fazendas dos Estados Unidos, em abril de 2018, era de 9,4 milhões de cabeças, 8.000 cabeças a mais que em abril de 2017, mas, 2.000 a menos do que em março de 2018. A produção de leite nos 23 Estados Maiores Produtores de leite dos Estados Unidos, em abril, subiu 0,7%, e totalizou 17,3 bilhões de pounds, [7.596 milhões de litros]. A produção de março, revisada chegou a 17,8 bilhões de pounds, aumento de 1,4% em relação a março de 2017. A revisão de março reduziu em 9 milhões de pounds, ou 0,1% a estimativa feita um mês antes. A produção média por vaca nos 23 Estados Maiores Produtores foi de 1.982 pounds, [870/litros/vaca], em abril, 10 pounds a mais que em abril de 2017. Esta é a maior produtividade animal para um mês de abril nos 23 Estados, desde o início da série, em 2003. (Dairy Herd - Tradução livre: www.terraviva.com.br)
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *