Pular para o conteúdo

28/09/2020

 

Porto Alegre, 28 de setembro de 2020                                              Ano 14 - N° 3.314

Secretaria da Agricultura lança a Radiografia da Agropecuária Gaúcha 2020

Foto: Emerson Foguinho
O potencial do agronegócio foi destaque no primeiro dia da Expointer Digital 2020 com o lançamento Radiografia da Agropecuária Gaúcha 2020. A publicação on-line produzida pelo Departamento de Políticas Agrícolas e Desenvolvimento Rural da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) foi apresentada pelo secretário Covatti Filho na tarde deste sábado (26/9), com transmissão ao vivo pelo site www.expointer.rs.gov.br.
O levantamento reúne números da agricultura no Rio Grande do Sul e destaca a importância do setor na geração de emprego e renda. “O estudo também tem conteúdo técnico para delinear novas políticas públicas e aperfeiçoar as existentes”, afirma Covatti Filho.
Ainda de acordo com o secretário, no ranking nacional o RS se destaca na liderança em produção, tecnologia e geração de receita, em diversas áreas do agronegócio. “Há um grande potencial para expandir as culturas agrícolas mais recentes, aprimorando os processos mais tradicionais e buscando solucionar os entraves que ainda dificultam a vida do produtor”.
Conforme o secretário, o relatório reconhece e demonstra a relevância da cadeia agropecuária no Estado, que passa pelas propriedades rurais, comércio e indústrias vinculadas à atividade rural, sendo responsável pela geração de 40% da riqueza gaúcha.
“Na Secretaria da Agricultura, reconhecemos esta importância com os espaços das Câmaras Setoriais. Em cada uma delas, discutimos, com as entidades representativas do setor, políticas públicas voltadas para eles. Esse fórum de discussão é fundamental e ocorre de forma mensal”, complementa.

O diretor do Departamento de Políticas Agrícolas e Desenvolvimento Rural, Ivan Bonetti, informa que a pesquisa foi feita com coleta de informações relativas à safra 2019/2020 e, em alguns casos, 2018, junto a diversos órgãos oficiais e privados que desenvolvem levantamentos de dados agropecuários.
“O trabalho reúne 28 dos principais segmentos agrícolas, detalhando dados como área colhida, produção, receita agropecuária, número de produtores, valores de exportação e principais destinos, participação na produção nacional e nas exportações do agro gaúcho, além do número de municípios produtores, destacando sua escala”, acrescenta Bonetti.
A radiografia aponta que a riqueza total do Estado (PIB 2019) foi de R$ 480 bilhões; a receita das propriedades agropecuárias chegou a R$ 67 bilhões (14% do PIB) e a receita do agronegócio (lavoura, pecuária, serviços e indústrias) foi de R$ 192 bilhões (40% do PIB).
Com base no valor bruto de produção, os principais produtos agropecuários gaúchos são soja (36%), frango (13%), arroz (11%) e bovinos (7%). Principal produto, a soja ocupa área de 5,96 milhões de hectares, tem produção de 10,69 milhões de toneladas e valor bruto de produção de R$ 16,9 bilhões, conforme dados na Radiografia. Clique aqui e acesse a Radiografia da Agropecuária Gaúcha 2020. (Seapdr)

                     

Famurs promove curso online para capacitação em APPCC
Gestores e médicos veterinários dos serviços de inspeção municipais e responsáveis técnicos de agroindústrias são o público-alvo do Curso EAD - Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle (APPCC), promovido pela Famurs entre os dias 5 e 7 de outubro, das 14h às 17h. A plataforma EAD permite a capacitação no local escolhido pelo participante
O curso online com carga horária de 9 horas propõe a capacitação desses profissionais na rotina de interpretação e entendimento dos conceitos básicos da ferramenta de segurança alimentar. O conteúdo vai abordar cinco pontos fundamentais do APPCC: definição e histórico, conceitos básicos e pré-requisitos, estrutura do plano, os sete princípios do plano e verificação oficial.
A capacitação em APPCC será conduzida por Letícia de Albuquerque Vieira, médica veterinária, pós graduada em Tecnologia de Alimentos pelo IMEC/POA, Mestranda em Produtos de Origem Animal na FAVET/UFRGS, tendo atuado no DIPOA/MAPA, em empresas de produtos de origem animal na área de qualidade e segurança dos alimentos. De acordo com Letícia, o APPCC é exigido em todas as empresas com inspeção, mas muitas ainda não têm o plano desenvolvido e implantado, especialmente em níveis municipal e estadual. ‘A capacitação é importante para fazer com que os estabelecimentos estejam aptos quando foram fiscalizados e auditados”, afirma a técnica.
Outra parte do conteúdo será ministrado por Suzane Bittencourt, auditora fiscal federal aposentada, com experiência em auditorias operacionais e de sistemas de inspeção sanitária de produtos de origem animal, instrutora dos cursos de auditoria em BPF e APPCC, ministrados pela Organização Panamericana de Saúde – OPAS/OMS.
O investimento individual é de R$ 309,99 para inscrições feitas por prefeituras e de R$ 449,00 para os demais interessados. Mais informações aqui. (Assessoria de Imprensa Sindilat/RS)

 

FAO: produção global de leite está em crescimento rápido
A produção global de leite está aumentando rápido, devendo crescer 1,6% com relação ao ano anterior (para 997 milhões de toneladas em 2029) nos próximos 10 anos.
De acordo com o relatório Outlook Agricultural 2020-2029, da OCDE-FAO, este crescimento é mais rápido do que a maioria das outras principais commodities agrícolas. O relatório afirma que, embora o crescimento médio mundial dos rebanhos (0,8% anual) seja maior do que o crescimento médio da produtividade (0,7%), as médias variáveis são o resultado de rebanhos crescendo mais rápido em países com produtividade relativamente baixa. Na maioria das regiões do mundo, espera-se que o crescimento da produtividade contribua mais para o aumento da produção do que o crescimento do rebanho.
O crescimento da produtividade pode estar relacionado a fatores como a otimização dos sistemas de produção de leite, melhoria da saúde animal, maior eficiência na alimentação e melhor genética.
Espera-se que a Índia e o Paquistão contribuam com mais da metade do crescimento da produção mundial de leite e respondam por mais de 30% da produção mundial em 2029.
A produção na União Europeia deverá crescer mais lentamente do que a média mundial. Os rebanhos leiteiros devem diminuir (-0,6% anual), mas a produção de leite deve crescer a 1% na próxima década.
O maior rendimento médio por vaca é observado na América do Norte, já que a participação na produção a pasto é baixa e a alimentação é focada em vacas de alto rendimento de rebanhos leiteiros especializados. Os rebanhos leiteiros nos Estados Unidos e Canadá permanecerão inalterados e o crescimento da produção deverá se originar de novos aumentos de produção.
A Nova Zelândia tem visto um crescimento muito lento na produção de leite nos últimos anos. O crescimento da produção será definido para exportação, que enfrenta maiores incertezas, devido a medidas comerciais após a pandemia de Covid-19.
A África é vista como um caminho que leva a um forte crescimento da produção, principalmente como resultado de rebanhos maiores. Durante o período de projeção, cerca de um terço da população mundial do rebanho deverá estar localizada na África, respondendo por cerca de 5% da produção mundial de leite. (As informações são do Dairy Global, traduzidas pela Equipe MilkPoint)

 

Expointer Digital recebeu 33 mil visitas no sábado
A primeira Expointer Digital da história contou com tempo instável durante o final de semana no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio. Apesar disso, a Secretaria da Agricultura comemorou o acesso às atividades pela internet. Durante o sábado, o site recebeu 33 mil acessos, número considerado excepcional pelo secretário Covatti Filho. “Estamos muito satisfeitos”, disse. Segundo ele, o primeiro dia da feira foi de ajustes do modelo virtual, que deve permanecer quando o evento retomar o formato presencial. Profissionais da área da saúde fazem a testagem dos visitantes para diagnóstico de Covid-19 no portão 8. (Correio do Povo)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *