Pular para o conteúdo

10/06/2020

Porto Alegre, 10 de junho de 2020                                              Ano 14 - N° 3.238

Sindilat adere à campanha de valorização de produtos gaúchos

Para fomentar o consumo de produtos e serviços do Rio Grande do Sul, o Sindicato da Indústria de Laticínios do RS (Sindilat) se uniu à campanha “Escolha de Valor – Compre Produtos e Serviços Daqui”, lançada pela Assembleia Legislativa do Estado (ALRS). O projeto é resultado das discussões do Fórum de Combate ao Colapso Social e Econômico, conduzido pelo presidente da ALRS, Ernani Polo (PP). Divulgada em maio, a campanha visa incentivar o comércio local e conscientizar a população para a adoção de medidas de prevenção nos estabelecimentos, como o uso de máscaras, o distanciamento social e a frequente higienização das mãos.

Além disso, a iniciativa defende que o consumidor faça valer o seu poder de escolha, priorizando produtos e serviços do seu bairro, da sua cidade, do Estado e do Brasil. “Nosso objetivo é estimular os nossos setores produtivos do comércio, indústria e serviços, valorizando o que é nosso: gaúcho, brasileiro, os produtos e serviços daqui”, afirma Polo. O deputado ainda destaca que a indústria gaúcha produz com qualidade nos mais variados segmentos, como alimentos, roupas, calçados, veículos, transportes, bebidas, máquinas e equipamentos, tecnologia. Além de ter boas opções no mercado local, o consumidor que compra esses produtos ajuda a movimentar a economia regional e nacional. “Também queremos levar um pouco de ânimo aos nossos empreendedores, que estão passando por um momento difícil”, pontua.

Na visão do presidente do Sindilat, Alexandre Guerra, a recuperação da economia frente à pandemia se dará de forma mais fácil se a sociedade valorizar o que é produzido no próprio Estado. Guerra cita o dado de que mais de 50 mil famílias gaúchas entregam leite à indústria atualmente, e campanhas deste gênero podem garantir o sustento destas e outras milhares de famílias. "É uma ideia que todas as entidades podem fazer parte para multiplicar ainda mais o seu efeito. Consumir produtos locais é o que mantém empregos, gera impostos e faz com que a roda volte a girar", diz. Confira o vídeo da campanha. (Assessoria de imprensa Sindilat/RS)

                    
Em maio, ICPLeite registrou primeira queda do ano, -0,96%. 
O mês de maio registrou a primeira queda no custo de produção de leite do ano de 2020, segundo o ICPLeite/Embrapa. A deflação apontada pelo indicador foi de -0,96% e foi puxada pela retração do grupo Alimentação concentrada, que possui o maior peso na ponderação. A queda verificada neste grupo foi de -2,60%. O custo da ração ficou mais barato com a queda do preço do milho. Outros dois grupos também apresentaram deflação, em ambos, motivada pela diminuição dos preços dos combustíveis. São eles Energia e combustível, que apresentou queda de -1,86% e Produção e compra de volumosos, que caiu -0,79%. Por outro lado, o custo do grupo Qualidade do leite subiu 6,86%. O preço dos sanitizantes aumentaram expressivamente, sendo consequência do Covid-19. O grupo Reprodução aumentou 3,21%, Sal mineral, 1,19% e o grupo Sanidade apresentou variação de 0,56%. O grupo Mão de obra não se alterou. Os dados por grupos de custos encontram-se na Tabela 1.
 

Pesquisa da Consultoria Prestige Agronegócios levanta dados sobre os Indicadores Econômicos e Cenário para o Mercado de Lácteos

Mercado Lácteo - Segundo os dados da pesquisa Indicadores Econômicos e Cenário para o Mercado de Lácteos - Budget 2º Semestre 2020, observa-se o comportamento das seguintes variáveis listadas abaixo relacionadas à emprego.

Variáveis presente no estudo
Demissões; Admissões; Seguro desemprego; Variação setorial do PIB; Comprometimento Fiscal; Nível de endividamento familiar; Endividamento familiar por faixas de renda.

Cada variável é disposta em gráficos pelo estudo, conforme observado abaixo. Trabalho da Consultoria Prestige Agronegócios elaborado por Merinaldo Bezerra- 06/2020.
    

 
Podemos observar que se destacam os dados de desemprego, queda do PIB e endividamentos que podem certamente impactar fortemente nas demandas de lácteos. (Terra Viva / CNC (PEIC); BC; PDET/MTE - Elaboração: Merinaldo Bezzerra - Consultoria Prestige Agronegócios)
                    
Milho
Preço atinge menor patamar em 7 meses; tendência é de mais queda, diz consultoria. Assista o vídeo da matéria completa clicando aqui. (Canal Rural)
 
 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *