Pular para o conteúdo

11/06/2019

Porto Alegre, 11 de junho de 2019                                              Ano 13 - N° 2.999

   Palmeira das Missões recebe evento sobre as Instruções Normativas 76 e 77
 
A cidade de Palmeira das Missões (RS) receberá a nona reunião que vem percorrendo o Estado para debater as mudanças trazidas pelas Instruções Normativas (INs) 76 e 77 do Ministério da Agricultura. As regras estão em vigor desde 30 de maio e alteram a forma de produção, coleta e armazenagem do leite cru. O encontro ocorre no dia 19 de junho, a partir das 8h, no auditório da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), em Palmeira das Missões (Av. Independência, 3751). As inscrições são gratuitas, limitadas a 200 lugares e podem ser feitas pelo link https://bit.ly/2Wvhf2d.
 
A realização do evento é resultado do encontro entre o presidente do Conselho Regional de Desenvolvimento (Corede) de Rio da Várzea, Joel Rubert, e do secretário-executivo do Sindicato da Indústria de Laticínios do Rio Grande do Sul (Sindilat), Darlan Palharini, no dia 27 de maio. Na ocasião, Rubert solicitou a realização do debate sobre as INs no município, visto que as mudanças geraram dúvidas entre os produtores Para Palharini, o principal objetivo é que os participantes esclareçam todas as dúvidas sobre a adequação às INs 76 e 77 para que ninguém tenha prejuízo. "As alterações vão dividir responsabilidades, não só entre a indústria e o produtor, mas, também, com o poder público", explica.
 
A programação também inclui palestras sobre a Lei do Leite, aspectos de inspeção do leite que se modificam a partir das INs 76 e 77 e sobre o Plano de Qualificação de Fornecedores. O encontro contará ainda com depoimentos de produtores e da indústria sobre o Programa Mais Leite Saudável e com uma mesa redonda na qual o público poderá fazer perguntas ao vivo e via WhatsApp pelo número (51) 9 89091934. O evento terá transmissão simultânea por meio do Facebook do Sindilat (facebook.com/sindilatrs/).
 
O encontro é promovido pela Superintendência Federal do Ministério da Agricultura no Estado (Mapa/RS), Secretaria da Agricultura, Sindilat, Apil, Famurs, Sistema farsul, Fetag, Sistema Ocergs, Emater, Embrapa, Conseleite, Gadolando, Associação dos Criadores de Jersey, Fecoagro, Simvet, CRMV/RS, UFSM - Campus Palmeira das Missões e Prefeitura Municipal de Palmeira das Missões. (Assessoria de Imprensa Sindilat)
 
                  

Lácteos/UR 

 
As exportações de lácteos nos primeiros cinco meses do ano caíram 3% em relação a 2018, totalizando US$ 233,6 milhões (FOB). Nos primeiros cinco meses do ano aumentou o faturamento com a venda de leite em pó desnatado e integral, mas, caiu o do queijo e da manteiga, resultando na queda acumulada de 3% em relação ao mesmo período de 2018.
 
Como mostra o quadro do Instituto Nacional do Leite (Inale) no acumulado até maio, aumentou o faturamento do leite em pó desnatado (118%) e do leite em pó integral (2%), em relação a 2018, caindo o da manteiga (24%) e dos queijos (19%). Em consequência, o faturamento total acumulado até maio registrou queda de 3% em 2019, quando comparado com o ano passado.
 
Volumes
No acumulado até maio deste ano melhoraram as colocações de leite em pó desnatado e leite em pó integral (147% e 7%, respectivamente), enquanto caíram os de queijo e manteiga (19% e 11%, respectivamente), quando comparado com o mesmo período de 2018.
Preços
Em relação aos preços de dezembro de 2018 houve aumento nas cotações do leite em pó integral (11%), manteiga e leite em pó integral (7%), e houve queda nos valores dos queijos (8%).
 
Ao comparar os preços médios recebidos pelos produtos exportados em maio de 2019 comparados com os de um ano atrás, quase todos caíram: manteiga (14%), leite em pó desnatado e leite em pó integral (5%, ambas), enquanto ficou estabilidade nas cotações dos queijos. Em relação aos preços de abril, somente o leite em pó desnatado teve valorização (5%). A manteiga caiu 5%, os queijos (4%) e o leite em pó integral (1%). (TodoAgro - Tradução livre: Terra Viva)
 
Leite/Oceania 
 
A produção sazonal de leite na Austrália, de julho de 2018 a abril de 2019, está 7,3% menor do que registrada no ano passado. Em abril de 2019 o percentual de queda foi de 13,7% em relação a abril de 2018. O outono avança por toda Austrália. O tempo mais frio e a geadas atingiram algumas regiões. 
 
Isso está fazendo com que alguns produtores de leite apressem seus trabalhos para garantir feno e alimentação durante o inverno. O resultado é o aumento de custos e utilização de alimentação alternativa. Especialmente no Sul e no Oeste da Austrália os estoques de feno estão baixos. Na Nova Zelândia, a produção de leite em abril de 2019 foi de 1.364 toneladas, de acordo com a DCANZ, o que representou queda de 8,4% em relação à produção de abril de 2018. Os sólidos do leite também caíram 7,7% na mesma comparação.
 
Especialmente com a baixa produção de leite no final da estação, cada gota conta. A seca que continua na Ilha Norte e em partes da Ilha Sul é uma preocupação constante para os produtores de leite.
 
   
 
Analistas observam que a maior rentabilidade dos produtores nesta temporada resultou em reparos e investimentos em muitas fazendas de leite. E isso é um ponto positivo para o início da próxima safra. ( Usda - Tradução Livre: Terra Viva)
 
 
Instruções normativas 76 e 77 no Ministério da Agricultura
 
O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) fixou novas regras para a produção de leite no país, especificando os padrões de identidade e qualidade do leite cru refrigerado, do pasteurizado e do tipo A. As mudanças foram publicadas no Diário Oficial da União e estão em vigors desde o final de maio, nas Instruções Normativas (INs) 76 , e, na 77. CLIQUE AQUI e confira a entrevista com o secretário executivo do Sindilat/RS, Danrlei Palharini sobre o assunto. (Destaque Rural)
 
Reunião sobre as IN's 76 e 77 em Ijuí
Ocorre amanhã, dia 12/06, a reunião para discutir as IN's 76 e 77 em Ijuí. O evento será realizado do Salão de Atos Argemiro Jacob Brum, na Unijuí. As inscrições são gratuitas. CLIQUE AQUI para obter maiores informações e realizar sua inscrição. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *