Pular para o conteúdo

26/04/2019

Porto Alegre, 26 de abril de 2019                                              Ano 13 - N° 2.967

   UE – A captação de leite cai 0,8% nos dois primeiros meses de 2019

A captação de leite na União Europeia (UE) caiu ligeiramente em fevereiro (-0,1%), o que resultou em uma queda acumulado nos dois primeiros meses de 2019 de -0,8%, de acordo com os últimos dados do Observatório Lácteo da UE.
 
França, Holanda e Itália são os estados membros com as maiores reduções em fevereiro. As entregas na Alemanha se mantiveram estáveis. Polônia e Reino Unido registraram os maiores aumentos de produção em fevereiro (+36.000 toneladas cada um).
 

Na Espanha, as entregas de leite foram reduzidas em 0,3% em fevereiro e em 1% nos dois primeiros meses do ano com relação ao mesmo período do ano anterior. A produção de leite em pó na UE vem caindo significativamente em 2019: -9,1% para o leite em pó integral e -6,1% para leite em pó desnatado. A produção de queijo também caiu -0,5%, enquanto que a manteiga subiu ligeiramente nos primeiros meses do ano (+0,3%).

O crescimento da produção de leite na Nova Zelândia caiu consideravelmente em fevereiro (+0,1% quando foi de +8% em janeiro). Desde o início da campanha foi registrado incremento acumulado de 4,4%. A produção de leite australiana continua colapsando. Caiu 12,6% em fevereiro e em 6,6% no acumulado desde o início da temporada. Nos Estados Unidos houve aumento moderado da produção de leite: +0,1% em fevereiro, e, 0,6% em janeiro-fevereiro de 2019. (Agrodigital – Tradução livre: Terra Viva)

                 
 
Concurso leiteiro

Evento promovido pela Gadolando deve atrair criadores e público em geral para acompanhar o torneio que se encerra com o tradicional Banho de Leite. O concurso leiteiro da raça Holandesa na Expoleite Fenasul chama muito a atenção tanto dos criadores quanto do público em geral.

Trata-se de uma atração à parte no evento que realiza mais uma edição neste ano entre os dias 15 e 19 de maio no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS). A organização é da Associação dos Criadores de Gado Holandês do Rio Grande do Sul (Gadolando). O presidente da Gadolando, Marcos Tang, destaca que diferentemente dos julgamentos morfológicos e de pista quando quem assiste precisa entender da raça e o que o juiz está avaliando, no concurso leiteiro é fácil evidenciar a vaca campeã porque é a que produziu mais leite. No entanto, alcançar uma boa produção não é simples, é preciso que o animal tenha genética para tal feito. Para chegar em uma exposição e produzir grandes quantidades de leite, a vaca também deve ser bem conduzida, bem alimentada, ter conforto e, sobretudo, ter um temperamento adequado. "Uma vaca completa é a que come bem, que produz leite e que consegue fazer tudo isso em um ambiente estranho", observa Tang.

Conforme o dirigente, é bastante complexo fazer uma vaca campeã de torneio leiteiro. Explica que o produtor ao pensar em obter boas produções realiza um longo trabalho que se inicia já no acasalamento da mãe com a utilização do sêmen de um touro adequado. "Não adianta uma vaca só produzir muito, ela também tem que ter pernas para chegar à ordenhadeira, capacidade digestiva para conseguir comer bastante, assim como capacidade respiratória e circulatória para ter uma boa oxigenação", salienta.

Tang lembra que os torneios leiteiros são bastante reais por não serem permitidos o uso de medicações. "As vacas têm que produzir o leite a partir da ingestão voluntária oral, não podendo ter injeções e artificialidades. Com isso preservamos o conforto do animal", sinaliza, ressaltando que os produtores que conduzem seus animais aos torneios têm que saber o que eles devem comer e qual a quantidade de proteínas, de fibras e de água. "Certamente teremos vacas produzindo muito leite e vacas de boa conformação subindo na nossa sala de ordenha e que poderá ser acompanhada pelo público", afirma o dirigente.

A programação da Gadolando na Expoleite Fenasul além do Concurso Leiteiro que se encerra na quinta-feira, dia 16 de maio, com o já tradicional Banho de Leite que ocorrerá às 17h, vai contar também com o Julgamento da raça Holandesa, com a classificação de fêmeas paridas, conjuntos e Grande Campeonato. Haverá ainda a Entrega de Prêmios da Raça Holandesa Expoleite 2019 e o Desfile dos Campeões. Vale lembrar que o líquido utilizado para o Banho de Leite contém uma grande quantidade de água misturada em um pouco de leite. (Página Rural)


USDA anuncia US$ 1,5 milhão em subsídios para apoiar a indústria de lácteos

 Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) anunciou US$ 1,5 milhão em subsídios competitivos para as Iniciativas do Dairy Business Innovation (DBI). O DBI é autorizado por meio da lei agrícola de 2018. O programa apoia os esforços do USDA para reduzir o risco e desenvolver usos de maior valor para os produtos lácteos, diversificar a renda dos produtores por meio do processamento e da inovação de marketing e incentivar o uso da produção regional de leite. As DBI Initiatives devem fornecer assistência técnica direta e fazer doações para empresas do setor de lácteos. 

As iniciativas devem estar posicionadas de acordo com os recursos da indústria de lácteos existentes, incluindo a densidade de propriedades leiteiras e a adequação de terras agrícolas a laticínios, bem como atividades conduzidas por programas de pesquisa e promoção de lácteos, organizações de pesquisa, empresas de laticínios ou interessados acadêmicos e industriais. Iniciativas podem servir a um determinado nicho de produto, como queijo especial, ou atender a empresas de laticínios com produtos lácteos derivados do leite de um tipo específico de animal leiteiro, incluindo produtos feitos a partir de leite de vaca, ovelha e cabra. 

As inscrições devem ser enviadas eletronicamente por meio de www.grants.gov até 17 de junho. (As informações são do Dairy Reporter, traduzidas pela Equipe MilkPoint)
 
Produção/AR 
Os produtores de leite foram entrevistados em relação ao planejamento de sua atividade. 67% deles asseguraram que iriam aumentar a produção total nos próximos 12 meses. E média, o incremento será de 3,5% em relação a 2018. Além disso, a metade dos produtores entrevistados esperam poder aumentar a quantidade total de vacas em ordenha. No primeiro trimestre do ano a dívida de curto prazo das fazendas de leite comprometia 47 dias do faturamento, um valor menor do que os 53 e 52 dias apurados nas pesquisas realizadas em julho e novembro do ano passado, respectivamente, o que estaria indicando, em termos médios, uma progressiva recomposição da complexa situação enfrentada pelos produtores de leite em 2018. Os produtores consultados disseram que o nível atual de endividamento afeta, principalmente, as decisões relacionadas com os investimentos em infraestrutura e compra de animais. (ON24 – Tradução livre: Terra Viva)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *