Pular para o conteúdo

21/03/2019

Porto Alegre, 21 de março de 2019                                              Ano 13 - N° 2.942

      Conseleite/SC

A diretoria do Conseleite Santa Catarina reunida no dia 21 de Março de 2019 na cidade de Florianópolis, atendendo os dispositivos disciplinados no artigo 15 do seu Estatuto, inciso I, aprova e divulga os preços de referência da matéria-prima leite, realizado no mês de Fevereiro de 2019 e a projeção dos preços de referência para o mês de Março de 2019. Os valores divulgados compreendem os preços de referência para o leite padrão, bem como o maior e menor valor de referência, de acordo com os parâmetros de ágio e deságio em relação ao Leite Padrão, calculados segundo metodologia definida pelo Conseleite-Santa Catarina.


1 - Valor, em R$/litro, para o leite posto propriedade com Funrural incluso.

Períodos de apuração
Mês de Janeiro/2019: De 31/12/2018 a 03/02/2019
Mês de Fevereiro/2019: De 04/02/2018 a 03/03/2019
Decêndio de Março/2019: De 04/03/2019 a 17/03/2019

O leite padrão é aquele que contém entre 3,50 e 3,59% de gordura, entre 3,11 e 3,15% de proteína, entre 450 e 499 mil células somáticas/ml e 251 a 300 mil ufc/ml de contagem bacteriana e volume individual entregue de até 50 litros/dia. O Conseleite Santa Catarina não precifica leites com qualidades inferiores ao leite abaixo do padrão. (Sindileite/SC)

                 
 

INSTRUÇÃO NORMATIVA N º 3, DE 14 DE MARÇO DE 2019

O SECRETÁRIO DE DEFESA AGROPECUÁRIA, DO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso das atribuições que lhe conferem os art. 21 e 63 do Anexo I do Decreto nº 9.667, de 02 de janeiro de 2019, tendo em vista o disposto na Lei nº 1.283, de 18 de dezembro de 1950, na Lei nº 7.889, de 23 de novembro de 1989, no Decreto nº 9.013, de 29 de março de 2017, e o que consta do Processo nº 21000.026650/2018-92, resolve:

Art. 1º Ficam estabelecidos os procedimentos de aprovação prévia de projeto, reforma e ampliação, registro de estabelecimento, alterações cadastrais e cancelamento de registro de estabelecimento junto ao Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal - DIPOA, e relacionamento de estabelecimentos junto ao Serviço de Inspeção de Produtos de Origem Animal - SIPOA, na forma desta Instrução Normativa. (MAPA/Diário Oficial da União)

ACESSE A IN NA ÍNTEGRA

 

Inovações e Avanços em Ciência e Tecnologia de Leite e Derivados 

O lançamento do livro ‘Inovações e Avanços em Ciência e Tecnologia de Leite e Derivados’, coordenado por Adriano Gomes Cruz, editado pela Setembro Editora, acontecerá no Simpósio sobre Inovações e Avanços em Ciência e Tecnologia de Leite e Derivados, no Ital/Campinas, no dia 28 de março de 2019. Os participantes inscritos receberão um exemplar da obra. 

O livro traz artigos sobre vários temas relacionados à inovação no setor de produção de lácteos e aspectos fundamentais para serem observados nas indústrias de leite derivados. Os artigos escritos por pesquisadores e especialistas do setor abordam temas, tais como sistemas de qualidade no processamento de leite e derivados – novas abordagens; Limpeza e sanitização no processamento de leite e derivados; gestão ambiental no processamento de leite e derivados; tratamento de efluentes das indústrias de leite e derivados; análise térmica no processamento de leite e derivados; RMN no domínio do tempo na caracterização; tratamento ôhmico e campo elétrico pulsado no processamento de leite e derivados; emprego do processo de separação de membranas em leite e derivados; princípios e aplicações da crioconcentralção de leite e derivados; inovações no desenvolvimento de derivados lácteos probióticos, prebióticos e simbióticos; técnicas utilizadas para microencapsulação de bactérias probióticas; técnicas utilizadas para microencapsulação de bactérias probióticas; caracterização de microcápsulas probióticas e uso em derivados lácteos, entre outros. (Revista Indústria de Laticínios)

 

Preços/NZ

O aumento dos preços dos lácteos no mercado mundial aumenta as chances de a Fonterra ficar apta a pagar o preço do leite ao produtor pelo valor maior da faixa de previsão atual.

Ainda que a cooperativa esteja lutando para equilibrar seus negócios, existe uma boa notícia para os agricultores. Com as cotações mundiais dos lácteos em alta, é provável que o preço do leite nesta temporada seja pago a NZ$ 6,60/kgMS pela Fonterra.

Tanto os economistas do banco ASB, como do BNZ revisaram para cima o preço do leite na temporada, depois dos ganhos registrados nos leilões GDT da Fonterra. E, as perspectivas para a próxima temporada são, potencialmente, mais positivas. O economista Nathan Penny, do ASB aumentou NZ$ 0,35 em suas expectativas, prevendo o preço de NZ$ 6,60/kgMS nesta temporada, e de NZ$ 7/kgMS na abertura da próxima.

O economista Doug Steel do BNZ, projeta NZ$ 6,50/kgMS nesta temporada e NZ$ 6,70/kgMS no início de 2019/2020.

Penny ressalta que o preço do leite em pó integral subiu 10,2% desde que o ASB apresentou sua previsão em fevereiro, e as cotações se elevaram por oito leilões consecutivos.

“O aumento de preços, no entanto, pode ser uma faca de dois gumes. Ao mesmo tempo em que elevamos a previsão do preço do leite, também projetamos queda no crescimento da produção, que era de 5%, e agora passou para 3%. Com base no lucro líquido, as mudanças são positivas para o setor lácteo como um todo. Estimamos que elas representarão aumento de NZ$ 450 milhões de renda a mais no setor lácteo. No entanto, é preciso observar que os efeitos da mesma forma. O tempo seco e o clima quente prejudicaram de forma diferente, cada região”, explicou Penny.

Steel do BNZ também informou que o banco revisou para menos a produção de leite da Nova Zelândia, para um ganho entre 1 e 2% em relação à safra anterior. A última previsão era que haveria crescimento de 4%.“A queda de produção faz os preços subirem. O impulso dos preços tem sido maior do que em alguns meses atrás”. (interest.co.nz – Tradução livre: Terra Viva)

 
Mais de 2,7 mil propriedades de leite encerraram operações nos EUA em 2018
Propriedades leiteiras/EUA - Mais de 2,7 mil propriedades leiteiras nos Estados Unidos encerraram as operações em 2018, segundo o Departamento de Agricultura do país (USDA).
A agência disse que produtores enfrentam preços mais baixos de leite e custos mais altos de produção. A maior parte das propriedades fica na região de Wisconsin e Alasca.
O consumo vem se desacelerando nos últimos anos, embora a produção global de leite tenha subido constantemente, deixando a indústria mais dependente das exportações, acrescenta o USDA. A agência estima que o país tenha 37,4 mil propriedades leiteiras licenciadas. O dado foi atualizado no fim de 2018. (Globo Rural)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *