Pular para o conteúdo

14/03/2019

Porto Alegre, 14 de março de 2019                                              Ano 13 - N° 2.937

      Embrapa divulga Ideas For Milk na Expodireto Cotrijal

A Embrapa Gado de Leite está aproveitando a Expodireto Cotrijal para divulgar e ampliar o alcance do desafio tecnológico ideas for Milk entre os estudantes de zootecnia, veterinária, agronomia e das escolas agrícolas. Idealizado para aproximar as tecnologias do sistema 4.0 do campo, o concurso que já teve três edições terá a próxima no segundo semestre deste ano.
O analista do núcleo sul da Embrapa Gado de Leite, que recebeu um grupo de jovens alunos nesta quinta-feira (14/3) na feira, Rogério Dereti, explicou aos jovens o que é o desafio e sua importância para os produtores e para a cadeia leiteira como um todo. O grupo conheceu também cinco startups que trouxeram agritechs vencedoras das últimas edições do concurso, que, inclusive ele, já estão fechando negócios no evento. “As equipes participantes do Ideias for Milk têm um professor orientador, trazem ideias ou protótipos das tecnologias e propõem modelos de negócio para melhorar a rentabilidade do produtor de leite”, explica.

Agtechs vencedoras Ideas for Milk 2018 que estão na Expodireto
Primeiro lugar  2018 – O empreendedor e zootecnista Cristian Martins da OnFarm, de Pirassununga (SP), desenvolveu um kit de tecnologia para identificar as principais bactérias causadoras da mastite. A agtech apresentou as ferramentas que permitem a detecção da doença na própria fazenda e com diagnóstico em 24 horas: o SmartKit, com todos os materiais necessários para a aplicação dos testes; o SmartLab, uma espécie de cabine portátil; e o OnFarmApp, aplicativo de gestão que controla todas as etapas da análise. 

Segundo lugar 2018 - A gaúcha Cowmed (Santa Maria/RS) idealizou uma coleira com chip capaz de medir os principais parâmetros comportamentais dos animais (tempo de ruminação ou ócio, de forma individual e coletivamente). Os dados são enviados para um servidor virtual e capturados pelo sistema de Inteligência Artificial denominado VIC. A ferramenta analisa os animais e faz alertas aos produtores sobre períodos importantes, como cio, melhor momento para a inseminação, doenças e outras alterações no rebanho. 

Terceiro lugar 2018 - A Z2S Sistemas Automáticos, pré-incubada da Agência de Inovação Tecnológica da Universidade de Passo Fundo (UPF), apresentou um sistema automático de limpeza de ordenhadeiras canalizadas. A solução possui três sistemas que podem ser usados individualmente ou integrados. Com alguns toques, a limpeza é realizada de forma automática e inclui controle e monitoramento de temperatura e dosagem dos produtos químicos. A solução reduz consideravelmente a Contagem de Bacteriana Total do leite, algo que pode ser visualizado nas análises do leite cru antes e pós uso do sistema.

Terceiro Lugar 2017 – Proposta de uma ordenhadeira móvel que tem um conceito construtivo para a sala de ordenha e sala de leite, em módulo tipo container, que chega pronto na propriedade, dispensando outras obras. O projeto foi desenvolvido pelo engenheiro agrícola Andrew Jones, da AJAGRO.  (Assessoria de Imprensa Sindilat)

 
 
                 
 

Preço do leite ao produtor europeu em janeiro de 2019 – LTO Nederland

Preços LTO - O cálculo mensal de preços do leite em janeiro de 2019 teve a média de € 33,85/100 kg, [R$ 1,52/litro], para o leite padrão. Queda de € 0,43/100 kg em relação ao mês anterior. Quando comparado com janeiro de 2018, a média de preços foi € 1,68 ou 4,7% menor.

A maioria das indústrias reduziram o preço. Mas, as indústrias francesas (exceto a Lactalis) e a Finlandesa Valio subiram. A italiana Granarolo e as indústrias irlandesas mantiveram os preços. Se os valores irão subir, ou se permanecerão nos mesmos níveis é difícil prever. Os preços da Arla e da FrieslandCampina continuaram os mesmos em fevereiro e março, ou subiram ligeiramente, como a FrieslandCampina.

 

 

Nos Estados Unidos o leite Classe III subiu de US$ 13,77, [R$ 1,21/litro], em dezembro, para US$ 13,96/cwt, [R$ 1,23/litro], em janeiro. No mês de fevereiro o valor foi de US$ 13,89/cwt, [R$ 1,22/litro]. 

Na Nova Zelândia a Fonterra elevou a previsão do pagamento alterando a faixa de NZ$ 6-6,30/kgMS para NZ$ 6,30-6,60/kgMS, e reduziu a previsão de pagamento dos dividendos. O preço, incluindo os dividendos de NZ$ 0,15/0,25, pode totalizar NZ$ 6,65/100kgMS, [R$ 1,37/litro], na temporada. (LTO Nederland – Tradução livre: Terra Viva)

 
Produção/Uruguai 
A captação de leite pelas indústrias de laticínios caiu pelo terceiro mês consecutivo em janeiro. Com a queda interanual de 6%, totalizou 146,7 milhões de litros, contra 156,3 milhões de janeiro de 2018. 
Assim foi registrada a menor captação de leite desde 2011. “Os produtores, diante da falta de dinheiro e pastos de sobra (a esta altura de não muito boa qualidade), não estão alimentando bem as vacas e isto se reflete na produção”, explicou Justino Zavala, diretor da Associação dos Produtores de Canelones. A esperança é de que a produção de outono melhore, junto com novas parições e recuperação das pastagens. A menor captação se soma ao preço ao produtor que continua abaixo dos 30 centavos de dólar, e em janeiro de 2019, o valor foi 13% menor do que o pago um ano atrás. A média foi de US$ 0,28 por litro, contra US$ 0,33 em janeiro de 2018. Em pesos a queda foi somente de 1%, obtendo a média de 9,41 pesos por litro. Em janeiro de 2018 o valor foi de 9,46 pesos por litro.  
É fundamental que a indústria consiga capturar a melhoria dos preços do mercado internacional, transferido esses ganhos aos produtores, pontuou Zavala. (Blasina y Asociados – Tradução livre: www.terraviva.com.br)
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *