Pular para o conteúdo

01/02/2019

Porto Alegre, 01 de fevereiro de 2019                                              Ano 13 - N° 2.911

     Conseleite/SC

A diretoria do Conseleite Santa Catarina reunida no dia 24 de Janeiro de 2019 na cidade de Joaçaba, atendendo os dispositivos disciplinados no artigo 15 do seu Estatuto, inciso I, aprova e divulga os preços de referência da matéria-prima leite, realizado no mês de Dezembro de 2018 e a projeção dos preços de referência para o mês de Janeiro de 2019. Os valores divulgados compreendem os preços de referência para o leite padrão, bem como o maior e menor valor de referência, de acordo com os parâmetros de ágio e deságio em relação ao Leite Padrão, calculados segundo metodologia definida pelo Conseleite-Santa Catarina.

 
O leite padrão é aquele que contém entre 3,50 e 3,59% de gordura, entre 3,11 e 3,15% de proteína, entre 450 e 499 mil células somáticas/ml e 251 a 300 mil ufc/ml de contagem bacteriana e volume individual entregue de até 50 litros/dia. O Conseleite Santa Catarina não precifica leites com qualidades inferiores ao leite abaixo do padrão. (Sindileite/SC)
 
 
FrieslandCampina 

O preço garantido do leite cru da FrieslandCampina para o mês de fevereiro de 2019, € 36,50/100 kg, [R$ 1,17/litro] subiu 0,25 Euros em comparação com o mês anterior (€ 36,25/100 kg de leite), em decorrência das expectativas das principais indústrias europeias para o preço da matéria prima.

 

O preço garantido pela FrieslandCampina para o leite orgânico em fevereiro de 2019 ficou em € 48,00/100 kg [R$ 2,12/litro], o mesmo valor do mês anterior. Esse valor foi estabelecido com base nas expectativas das principais indústrias de referência, que aponta para estabilidade da matéria prima.  

 

 
O preço garantido é aplicado a 100 quilos de leite que contenha 3,47% de proteína, 4,41% de matéria gorda e 4,51% de lactose, sem o imposto de valor agregado (IVA). O preço é garantido a produtores de leite convencional e que entregam acima de 800.000 quilos de leite por ano. O preço garantido para o leite orgânico segue os mesmos parâmetros do leite convencional em relação ao teor de sólidos, mas, a base do volume de entrega é acima de 600.000 quilos anuais. Até 2016 o volume era de 600.000 quilos para o leite convencional. A alteração do volume que serve de base para bonificações e o esquema da sazonalidade foi, então, descontinuado, iniciando novos parâmetros em 2017. (FrieslandCampina – Tradução livre: Terra Viva)

Espanha: com rotulagens destacando a origem do leite, produtores lutam por preços mais justos

Desde semana passada - graças ao Real Decreto 1181/2018 - é obrigatório que todos os produtos lácteos produzidos e comercializados na Espanha mostrem clara e visivelmente a origem do leite com o qual foram feitos. A organização dos pecuaristas da UPA (União de Pequenos Agricultores e Pecuaristas) lembrou que essa demanda vem sendo solicitada há muito tempo pelos produtores. "Nós lutamos muito com a nossa organização para obter a rotulagem de origem”, explicaram. “Estamos felizes mas sem entusiasmo, já que na Espanha continuam fechando fazendas leiteiras por falta de preços justos", contou o secretário de Pecuária da UPA, Roma´n Santalla.

Os pecuaristas esperam que essa medida sirva para destacar o primeiro elo da cadeia, conscientizando os consumidores de que sem os profissionais da pecuária que cuidam de seus animais todos os dias, não haveria leite, iogurtes ou os queijos da mais alta qualidade.

Sem preços justos, a rotulagem não ajudará
A UPA mais uma vez exigiu que os laticínios e grandes varejistas se conscientizassem da necessidade de pagar um preço justo aos produtores pelo seu trabalho. No momento, a Espanha permanece bem abaixo da média europeia em termos do preço pago na fonte pelo leite, com um preço médio de 0,32 euros (US$ 0,36) por litro, 3 centavos (3,4 centavos de dólar) abaixo da média europeia e até 4 e 5 centavos (4,5 a 5,67 centavos de dólar) a menos que na Holanda ou na Dinamarca.

Essa discriminação afundou a rentabilidade das fazendas, segundo a UPA, provocando o fechamento de até três fazendas leiteiras por dia em todo o país. A UPA também está trabalhando - no âmbito da campanha europeia Eat Original - para que esse reconhecimento de origem nos alimentos seja estendido a todos os produtos frescos e embalados, porque “é justo e lógico que se informe devidamente aos consumidores e que se reconheça o trabalho dos produtores".
Em 28/01/19 – 1 Euro = US$ 1,13478
0,88123 Euro = US$ 1 (Fonte: portal Oanda)
(As informações são do Agrodigital, traduzidas e adaptadas pela Equipe MilkPoint)

 
 
Leite/Uruguai 
Foi divulgada a proposta do Ministério da Economia que inclui a correção do preço do leite ao consumidor, que gerou, desde 2015, uma defasagem de 4,5%. Essa correção será aplicada em duas vezes. Aumento de 1,30 pesos por litro no início de fevereiro, e aumento similar em agosto, eliminado a defasagem e gerando aumento de aproximadamente 7 milhões de dólares este ano na renda do produtor, e de 11 milhões no próximo ano. Guillermo Berti, presidente da Sociedade de Produtores de Leite de Vila Rodríguez, disse a Martín Maidana que esta é uma reivindicação de longa data, e o ministro anterior, da Pecuária, Tabaré Aguerre, reconheceu que o setor deixou de capitalizar 130 milhões de dólares, por haver subido o leite por combinação de parâmetros e não pela inflação.  Depois de reconhecer a defasagem foi determinado que diferença entre a paramétrica e a inflação seria corrigida. Nesta próxima quarta-feira o tema será discutido e as dúvidas esclarecidas. (Espectador – Tradução livre: www.terraviva.com.br)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *